logo
rss  Vol. XX - Nº 353         Montreal, QC, Canadá - domingo, 17 de Novembro de 2019
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

O Operário da Lagoa

Um viveiro de mais de 300 atletas

Entrevista de Joaquim Eusébio

O Clube Operário Desportivo da Lagoa (S. Miguel, Açores) foi fundado em 1948 e de início era constituída por operários da Fábrica de Álcool da Lagoa. Sessenta e oito anos mais tarde agrega mais de 300 atletas distribuídos por diferentes modalidades (atletismo, basquetebol, judo e maioritariamente futebol). No que diz respeito ao futebol, tem presentemente cerca de 250 atletas distribuídos por 10 escalões de formação, para lá dos veteranos e dos seniores. O Operário, que está filiado na Associação de Futebol de Ponta Delgada, ganhou a sua primeira competição oficial na época de 1968/69 com a conquista do Campeonato Distrital da I Divisão, assim como a Taça de São Miguel, sendo na época seguinte campeão açoriano. De destacar a prestação da equipa sénior na época 1990/91 onde ganhou todas as provas a nível de ilha e também o Campeonato dos Açores, tendo por isso ingressado na época seguinte no Campeonato Nacional da III Divisão. Duas salas da sede do clube estão ornamentadas com centenas de troféus granjeados ao longo da sua história.

A equipa sénior participa atualmente no Campeonato Nacional Prio de Seniores, série H (2ª divisão). Segundo o presidente da Direção, Gilberto Branquinho, a maior ambição que a atual direção tem é manter de forma digna a equipa de seniores neste campeonato, onde já se encontra orgulhosamente e de forma ininterrupta desde há 14 anos e onde tem obtido classificações muito honrosas, quer para a Lagoa quer para o Arquipélago dos Açores. Cerca de 50% dos jogadores da equipa de seniores são originários da Lagoa e os restantes são recrutados no Continente.

A equipa de futebol disputa os seus jogos caseiros no Estádio João Gualberto Borges Arruda, na vila da Lagoa. Foi construído em 1986 e requalificado em 2005, e tem capacidade para 2 500 espetadores. João Gualberto Borges Arruda foi treinador emérito do Operário durante cerca de 30 anos, tendo-se consagrado como um dos maiores técnicos de S. Miguel e mesmo dos Açores.

A emigração lagoense fez com que muitos dos atletas do Operário se dispersassem pelo mundo e promovessem na diáspora meritoriamente o futebol. Muitos nomes poderiam ser citados; o nosso interlocutor, Gilberto Branquinho, apontou-nos, entre outros, os nomes de Isaías, Simão, Bernardino, Norberto Machado, Francisco Pelica, António Canhoto, António Eleutério, José Machado e João Manuel Tavares. A melhor expressão do amor pela camisola do clube, reside na fundação do Clube Operário de Toronto por antigos jogadores lagoenses, o que é um motivo de orgulho para o Clube Operário Desportivo e justificará a presença brevemente do presidente do clube da Lagoa no 40º aniversário do clube de Toronto.

A equipa de juniores do Operário foi campeã açoriana no seu escalão. O presidente Gilberto Branquinho, embora considere excelente a ideia de um intercâmbio desta equipa com Sainte-Thérèse, no âmbito da geminação entre as duas autarquias, vê com apreensão a sua concretização se não contar com um sólido apoio da Câmara Municipal da Lagoa e do Governo Regional. Por seu turno, os veteranos, promovendo atividades de angariação de fundos e com fundos próprios, já têm vindo ao Canadá e designadamente a Toronto.

Se os atletas do Operário dão o melhor do seu esforço, a Direção mantem uma dura luta para manter o clube. O Operário tem conseguido sobreviver, apesar da grave crise financeira que afeta a região e o país. As dificuldades financeiras são muitas. O Operário tem recebido subsídios para a formação desportiva por parte do Governo Regional dos Açores, e tem igualmente apoio financeiro da Câmara Municipal da Lagoa e da Fábrica da Moaçor (antiga Fábrica do Sabão). Para lá destas entidades, algumas empresas têm dado igualmente o seu apoio e há naturalmente as receitas das quotas dos sócios do clube.

O nosso agradecimento a Gilberto Branquinho, presidente da Direção do Operário da Lagoa desde 2000, pelas informações prestadas.

Especial
O Clube Operário Desportivo da Lagoa (S. Miguel, Açores) foi fundado em 1948 e de início era constituída por operários da Fábrica de Álcool da Lagoa. Sessenta e oito anos mais tarde agrega mais de 300 atletas distribuídos por diferentes modalidades (atletismo, basquetebol, judo e maioritariamente futebol). granjeados ao longo da sua história.
O Clube Operario Desportivo da Lagoa.doc
no
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2019