logo
rss  Vol. XX - Nº 351         Montreal, QC, Canadá - segunda-feira, 12 de Abril de 2021
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Criação de «Grandes Rotas»

Diversifica oferta turística e valoriza o Destino Açores

O Secretário Regional do Turismo e Transportes afirmou a semana passada, no Topo, em São Jorge, que a criação de «Grandes Rotas» no arquipélago diversifica a oferta turística e valoriza o Destino Açores.

Vítor Fraga, que falava na inauguração da Grande Rota de São Jorge, frisou que «as grandes rotas, pela sua dimensão e abrangência territorial, têm um maior grau de dificuldade, atraindo turistas amantes de turismo ativo e de aventura e ambientalmente exigentes».

Nesse sentido, salientou que são «mais-valias turísticas que valorizam o arquipélago, as ilhas onde se localizam e os locais por onde passam».

«É fundamental termos esta perspetiva de desenvolvimento de produtos turísticos que agreguem valor para a economia de cada uma das nossas freguesias e de cada local, que contribuem para a nossa oferta integrada», afirmou o titular da pasta do Turismo.

«O seu caráter diferenciador e o especial enquadramento com a matriz ambiental que nos carateriza faz com que sejam espaços apetecíveis para a realização de grandes eventos internacionais de «trail run», como o Azores Triangle Adventure, o Trail Run ou o Ultra Trail do Faial ou o Columbus Trail, em Santa Maria», acrescentou.

Para Vítor Fraga, todos estes eventos são «suscetíveis de aumentar a notoriedade internacional do arquipélago, como uma referência do turismo ativo e de natureza».

A Grande Rota de São Jorge é, segundo o Secretário Regional, «mais um contributo para o enriquecimento e diversificação da oferta de animação turística da ilha de São Jorge, uma ilha onde já se realizam eventos importantes para o turismo regional, como até há pouco tempo, a Bienal de Turismo Rural, que passou a ser anual e que se irá realizar novamente este ano, em outubro, dando seguimento àquilo que foi anteriormente anunciado no âmbito da Azores Nature, a travessia de Stand Up Paddle, que faz a ligação entre São Jorge e o Pico e o Encontro Internacional de Canyoning».

Vítor Fraga salientou que estes eventos «têm contribuído e contribuem imensamente para o desenvolvimento turístico de São Jorge, em concreto, e do arquipélago, em termos gerais, tanto na captação direta de fluxos turísticos associados aos mesmos, como ao nível da promoção junto de segmentos de mercado com apetência por um destino com as caraterísticas» dos Açores.

«A notoriedade do Destino Açores sai reforçada e é extremamente beneficiada com a exposição mediática que acompanha a realização destes eventos e tudo isto contribui para a construção de um destino turístico que se quer cada vez mais sustentável, gere riqueza, preserve e crie postos de trabalho, que desempenhe o seu papel maior numa região como a nossa, ou seja, que desempenhe um papel que transforme o turismo bom para quem cá vive», afirmou Vítor Fraga.

A Grande Rota de São Jorge, que se desenrola ao longo de mais de 40 quilómetros, percorre a ilha desde a Vila do Topo até à Fajã dos Cubres, indo à descoberta das especificidades locais das fajãs, da flora endémica, da arquitetura, da cultura, do património e das paisagens de São Jorge, de onde se destaca, naturalmente, a predominância das fajãs, recentemente classificadas como Reserva da Biosfera e que colocam São Jorge, de uma forma muito particular, vocacionada para o turismo de natureza, com destaque natural para os percursos pedestres, o geoturismo e o canyoning, elencados no Plano Estratégico e de Marketing do Turismo dos Açores como produtos de atração primária para a ilha de São Jorge.

Açores
O Secretário Regional do Turismo e Transportes afirmou a semana passada, no Topo, em São Jorge, que a criação de «Grandes Rotas» no arquipélago diversifica a oferta turística e valoriza o Destino Açores.
Topo.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2021