logo
rss  Vol. XX - Nº 350         Montreal, QC, Canadá - quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

No Desporto Açoriano…

União Sportiva e Fonte do Bastardo brilhantes!

Norberto Aguiar

Por Norberto Aguiar

Quando deixámos os Açores, em março de 1975, o desporto açoriano era totalmente amador e com pouca expressão. Essa situação resultava de uma região abandonada em vários domínios. Vivia-se, então, no tempo da «outra senhora»...

Hoje em dia, felizmente, o desporto açoriano já tem expressão nacional, ao ponto de ter vários campeões portugueses, a título individual e coletivo. Ora, essa faceta só pode trazer regozijo a todos os desportistas açorianos, principalmente aos seus «cabouqueiros», que durante décadas e décadas lutaram contra vicissitudes várias, todas elas nefastas ao desenvolvimento do desporto ilhéu...

No meu tempo de jovem atleta, buscar um exemplo de «réussite» no desporto açoriano que nos desse azo motivacional, era como procurar agulha em palheiro... Para além disso, sem televisão onde pudéssemos «copiar» o que faziam os atletas do exterior do arquipélago que pudesse ajudar o desenvolvimento dos nossos jovens desportistas, mais condicionados ficavam ainda os nossos jovens, muitos deles acantonados unicamente na limitadíssima esfera da sua própria ilha...

É por isso que ainda mais admiramos os Sidónio Serpa e Jorge Vicente, no hóquei em patins, onde chegaram a campeões do mundo; e a Costa Matos, no judo, o primeiro açoriano a participar nos Jogos Olímpicos. Mas estes foram as exceções à regra... E mesmo para isso tiveram que se exilar para Lisboa porque se tivessem ficado nos Açores era nada feito.

Fonde do Bastardo Voleibol2.JPG
O Benfica bem tentou. Mas os açorianos resistiram e a defender em bloco, levaram a melhor.

Hoje, passados 42 anos da bendita Revolução dos Cravos, os Açores têm campeões nacionais em atletismo, ténis de mesa, voleibol, basquetebol, automobilismo, entre outras modalidades. No plano coletivo, equipas como a Fonte do Bastardo (voleibol), a União Sportiva (basquetebol feminino), Boa Viagem (basquetebol feminino), Ribeirense (voleibol), Candelária (hóquei em patins) dão cartas a nível nacional e internacional, vencendo colossos como o Benfica! Ainda recentemente, a Fonte do Bastardo, uma equipa de uma das freguesias do concelho da Praia da Vitória, na ilha Terceira, bateu o Benfica na final do campeonato de voleibol, arrebatando por isso o título de campeão de Portugal de 2015/2016! Para mais, o jogo decisivo foi realizado no pavilhão do Estádio da Luz, por sinal com nome do Dr. Borges Coutinho, para muitos o maior presidente do Benfica até aos tempos de hoje e açoriano (de São Miguel) como a Fonte do Bastardo. À distância, um êxito impensável: uma equipa de «bairro» ganhar o grande e poderoso Benfica! Seis milhões de adeptos, corisco, contra uma freguesia de pouco mais de um milhar de pessoas!

Para os benfiquistas, que se gabam de serem os melhores em tudo, isto do voleibol é agora coisa menor, mesmo se o clube investe forte e feio numa modalidade em que tem tradição. Mas esse desdém veio do facto de terem perdido... contra uma equipa nacional, sim, mas de uma região muito pequena...

Outra grande equipa açoriana em destaque este ano é o União Sportiva, conhecida no meu tempo pelas modalidades de futebol e hóquei em patins. Agora dá cartas no basquetebol feminino, onde foi de novo campeã, batendo todas as suas rivais na «Final Four» disputada no complexo Desportivo Sidónio Serpa, em Ponta Delgada.

Uniao Sportiva BOA DSC_3151.JPG
No futebol a Madeira bate os Açores; no basquetebol vencem os Açores.
Foto Norberto Aguiar - LusoPresse

Depois de ter sido a melhor equipa de basquetebol feminino do país em 2014/2015, conquistando o cetro de campeã, ao mesmo tempo que teve comportamento meritório no plano internacional, este ano esta mesma equipa voltou a ser a melhor de Portugal, com a obtenção do bicampeonato.

Para nossa alegria, assistimos à final do Campeonato de Basquetebol Feminino e vibrámos intensamente com a vitória da formação de Ponta Delgada.

Outra agradável surpresa foi constatar que o corpo técnico desta equipa é dirigido por um açoriano, outra coisa impensável no meu tempo...

Se enveredássemos pelo capítulo do desporto individual, poderíamos trazer aqui como exemplo a fenomenal carreira de Ricardo Moura, um volante jovem e já várias vezes campeão nacional de ralis.

Em suma, o que nos apetece dizer é que o Desporto Açoriano, hoje, pode ombrear com qualquer outra região do país. Mas como a maioria dos desportistas de fim de semana só olhem para o futebol...

Desporto
Quando deixámos os Açores, em março de 1975, o desporto açoriano era totalmente amador e com pouca expressão. Essa situação resultava de uma região abandonada em vários domínios. Vivia-se, então, no tempo da «outra senhora»...
Desporto Acoriano.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020