logo
rss  Vol. XX - Nº 348         Montreal, QC, Canadá - segunda-feira, 12 de Abril de 2021
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Ainda o Dia da Mulher do LusoPresse

Uma festa para recordar

Norberto Aguiar

Por Norberto Aguiar

O 16° Dia da Mulher do LusoPresse realizou-se, este ano, um pouco fora de horas, isto é, fora do seu mês natural, que é, como todos sabem, o mês de março. Mas, apesar disso, valeu a pena, isto na medida em que nos deu mais tempo para pôr de pé uma ideia – mais uma... – inédita: convencer as 15 Mulheres Mais da Comunidade – escolhidas pelo LusoPresse no ano passado – a escolherem elas, as 15 Mulheres de 2016.

No princípio a ideia pareceu excelente a todas, ou quase todas, as galardoadas do ano passado. Depois, com o decorrer do tempo, as coisas complicaram-se, pois algumas começaram a considerar a tarefa difícil... E não adiantava dizer que assim é que era bonito o exercício. «Sabe, tinha pensado em alguém, mas depois vi que pelos «regulamentos» não dá para escolher a pessoa que pensei...». E logo outra, «Pensava que a escolha fosse mais fácil...». E ainda uma terceira, «Se não for fulana, eu não escolho outra pessoa...». Isto já para não falar naquelas que deixaram as promessas a meio. (Aqui não entra o impedimento, por doença, de uma das intervenientes.)

Dia da Mulher DSC_2097.JPG
Karene Aguiar e Anália Narciso, duas pilares na festa do Dia da Mulher do LusoPresse.
Foto Jules Nadeau

Mas houve, também, entre as possíveis 16 escolhas, uma ou duas que declinaram o convite das suas correligionárias. Por pensarem que seriam segundas escolhas? Não se sabe. O que se sabe é que declinaram o convite e estavam no seu direito.

Com alguns avanços e recuos, a festa do Dia da Mulher do LusoPresse foi, então, esperando pelo dia certo, mesmo se isso obrigou que saíssemos do mês de março, agravado por haver o fim de semana da Páscoa. Valeu a colaboração da direção do Clube Portugal de Montreal, na pessoa do António Moreira, seu presidente. Em duas ocasiões a reserva do dia para o evento esteve em cima da mesa... E nas duas vezes fomos obrigados a pedir a compreensão dos responsáveis do Clube para concordarem com o adiamento. Na circunstância valeu que a última data escolhida estava disponível. Fica aqui, nestas linhas, um sentido obrigado ao António Moreira pela sua compreensão, paciência e sentido de entreajuda. Tanto quanto criticamos quando é de criticar, também temos de elogiar quando é merecido fazê-lo, como neste preciso e concreto assunto.

Da festa já todos sabem como se passou. Pela Imprensa e pelas pessoas que a ela aderiram. No essencial foi muito positiva, com presença de muita gente. E se não andássemos aos soluços com a respetiva data, com certeza que ainda teriam aderido mais pessoas. Mas o programa e a certeza de que o jantar teria qualidade – vai todinha para a equipa do Clube! – fizeram com que a sala estivesse praticamente cheia. Também aqui um obrigado para quem nela participou, não interessando de que maneira.

Este texto não ficava completo sem que disséssemos um outro obrigado a toda a Equipa do LusoPresse e da LusaQ TV pelo esforço desenvolvido antes, durante e depois da festa. Sem essa equipa, com certeza que nada disso teria sido possível.

PS – Só para deixar esclarecido que o não aceitar que Mulheres da nossa organização fossem escolhidas tem a ver com questões de transparência.

Dia da Mulher
O 16° Dia da Mulher do LusoPresse realizou-se, este ano, um pouco fora de horas, isto é, fora do seu mês natural, que é, como todos sabem, o mês de março. Mas, apesar disso, valeu a pena, isto na medida em que nos deu mais tempo para pôr de pé uma ideia – mais uma... – inédita: convencer as 15 Mulheres Mais da Comunidade – escolhidas pelo LusoPresse no ano passado – a escolherem elas, as 15 Mulheres de 2016.
Ainda o Dia da Mulher do LusoPresse - Copy.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2021