logo
rss  Vol. XX - Nº 343         Montreal, QC, Canadá - quarta-feira, 03 de Junho de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Escolas ligadas ao FC do Porto

Depois de Toronto vem o Quebeque

Toronto – O Dragon Force Bradford-Toronto, escola de futebol internacional criada pelo FC Porto, chegou ao Canadá para «deixar a sua marca de qualidade e conquistar novos adeptos», disse à Lusa um dos responsáveis do projeto.

"Alguns alunos já eram portistas mas agora, com este projeto, o número de adeptos aumentou. Esta é também uma maneira de se formarem, e de terem conhecimento do que se passa em Portugal, pois muitos canadianos não tinham ligação ao FC Porto», afirmou Luís Andrez, da direção da Dragon Force Bradford-Toronto.

O professor de educação física, de 34 anos, reconheceu que a liga inglesa tem tido mais projeção do que a liga portuguesa, com clubes que atraem muitos jovens, como é o caso do Manchester United, mas com o projeto da escola no Canadá, o futebol português, e o próprio FC Porto, ficam como uma «maior projeção» no continente norte-americano.

FOTO Blue Jays BENFICA IMG_3589.JPG
O Benfica no Mundo! – Há quem diga que o Benfica está onde estiver um português. Aqui, na foto, o ditado parece querer confirmar isso mesmo... Estava o Blue Jays, em grande, na corrida ao título do seu campeonato e, alguém, naturalmente que fervoroso adepto benfiquista, estava expondo o emblema do Glorioso no suporte da bancada para que todo o mundo o visse. A fotografia, que correu mundo, fica aqui registada para alegria de todos os benfiquistas da comunidad

A Dragon Force Bradford-Toronto, um projeto dedicado à formação de novos atletas, tem já no país norte americano cerca de 150 atletas, tendo arrancado com os seus trabalhos em setembro de 2015, mas a abertura oficial teve lugar em janeiro, em Bradford, a norte de Toronto.

"Pretendemos formar jogadores profissionais, mas acima de tudo, queremos dar uma oportunidade para que os nossos atletas tenham aquela paixão para o futebol. Inicialmente, não os queremos enviar para as escolas do FC Porto, mas sim pretendemos que cresçam e façam a diferença no Canadá», sublinhou o luso-canadiano.

Luís Andrez pretende um dia «ter um craque luso-canadiano ou canadiano» formado no Canadá, para o poder enviar para Portugal, também para crescer como jogador.

Para já, aquela escola de futebol «não pretende »exportar' jogadores para a Europa», pois os atletas canadianos são «especiais», e só quando estiverem prontos é que irão para o Porto.

"Estamos a fazê-lo muito cuidadosamente, com tempo, porque os jogadores canadianos têm características diferentes, mas falta-lhes alguma experiência. Quando lhe incutirmos isso, então eles estarão prontos», frisou.

A seguir vem o Quebeque

Montreal – Criada a estrutura em Toronto, o Dragon Force prepara-se para chegar a Montreal, o que acontecerá ainda este mês, com a vinda a esta cidade de três treinadores do Staff portista, que vêem ajudar na implementação da escola local, que tem como dirigentes máximos António Carvalho, jovem empresário de sucesso no ramo imobiliário, e Luís Timóteo, jovem treinador já com um currículo muito interessante no futebol juvenil desta província.

Com muita coisa ainda entre mãos, os organizadores da Dragon Force Quebeque prometem, atempadamente, informar como tudo se vai desenrolar, até porque neste momento eles estão atarefados com o período de inscrições que, ao que sabemos, está a decorrer de forma muito positiva.

Desporto
Toronto – O Dragon Force Bradford-Toronto, escola de futebol internacional criada pelo FC Porto, chegou ao Canadá para «deixar a sua marca de qualidade e conquistar novos adeptos», disse à Lusa um dos responsáveis do projeto.
FC PORTO Dragon Force Canada.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020