logo
rss  Vol. XIX - Nº 340         Montreal, QC, Canadá - quarta-feira, 03 de Junho de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Com mais acuidade?...

PSD – Açores vira-se para as Comunidades

LusoPresse – Os partidos políticos açorianos, e portugueses em geral, dão pouca importância à diáspora deste lado do Atlântico. Assistimos a visitas esporádicas de alguns dos seus elementos, principalmente quando há necessidade de fazer passar uma qualquer mensagem e é tudo. Neste aspeto até íamos tendo as visitas do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário, que agora como simples deputado nos visitará com menos frequência, como é óbvio. Dos Açores, o representante das Comunidades vem muito poucas vezes e quando vem, «liga-se» apenas a metade da comunidade – estamos a falar daqui, no Quebeque.

Duarte Freitas 2 DSC_1941.jpg

Esta visita do presidente do PSD – Açores, Dr. Duarte Freitas, pode ser o desabrochar de uma nova era para as comunidades açorianas dos Estados Unidos e Canadá. E porquê? Porque o político açoriano veio trazer uma nova mensagem de esperança, consubstanciada num maior diálogo entre a Comunidade imigrada e a região de origem que, como se sabe, neste momento preciso é quase inexistente... Digam-me lá, desde há quanto tempo o Governo dos Açores não se senta connosco à volta de uma mesa para ouvir as nossas reivindicações e/ou sugestões? Afora alguns encontros temáticos – nos Açores – temos de dizer que desde há muitos, muitos anos...

Duarte Freitas veio a Montreal – também a Toronto... – disposto a mudar este estado de coisas. Esteve domingo num almoço na Casa dos Açores e reuniu-se também com um grupo de empresários num hotel da cidade. Dos assuntos abordados pouco filtrou para o exterior. Mas sabemos que no fim da reunião todos aqueles empresários se tornaram membros do PSD – Açores, convencidos pelos argumentos e engajamento do candidato a presidente dos Açores no ato eleitoral de outubro de 2016, relativamente à sua ligação efetiva futura à Comunidade Açoriana do Quebeque. Um coordenador local do partido ficou igualmente definido. A pessoa escolhida foi o banqueiro Duarte Miranda, agora na reforma. Depois de um grupo ligado ao Partido Comunista Português nos anos sessenta, setenta, mesmo oitenta, e do Círculo Socialista Antero de Quental, ligado ao Partido Socialista nos anos oitenta e noventa, ambos já dissolvidos, surge agora este núcleo do PSD – Açores, o que se saúda vivamente, pois trará, com certeza, uma outra vivacidade à nossa comunidade no plano político, quando se sabe que a nossa gente é por natureza refratária a questões dessa ordem.

Nesta visita a Montreal, Duarte Freitas também teve oportunidade de dar uma demorada entrevista ao programa português de televisão LusaQ TV, onde falou de vários assuntos de interesse para a Comunidade Açoriana local. A SATA e as suas ligações Ponta Delgada/Montreal, o voto dos imigrantes para a Assembleia Legislativa Regional, a possibilidade de eleger o Presidente dos Açores, entre outros temas, poderão ser vistos no programa da LusaQ TV de segunda-feira próxima (dia 7), a partir das 21 horas, no ICI Télévision, nos postos habituais.

Destaque
LusoPresse – Os partidos políticos açorianos, e portugueses em geral, dão pouca importância à diáspora deste lado do Atlântico. Assistimos a visitas esporádicas de alguns dos seus elementos, principalmente quando há necessidade de fazer passar uma qualquer mensagem e é tudo. Neste aspeto até íamos tendo as visitas do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário, que agora como simples deputado nos visitará com menos frequência, como é óbvio. Dos Açores, o representante das Comunidades vem muito poucas vezes e quando vem, «liga-se» apenas a metade da comunidade – estamos a falar daqui, no Quebeque.
Com mais acuidade.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020