logo
rss  Vol. XIX - Nº 339         Montreal, QC, Canadá - sábado, 04 de Abril de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Procuram-se fadistas

A Real Ficção é uma produtora de cinema e televisão, sediada em Lisboa, e criada há mais de 25 anos pelo realizador e produtor Rui Simões.

O nosso trabalho incide maioritariamente na produção de documentários, de diversas áreas, tanto ligados às artes, temáticas sociais, relacionados com os PALOP’s, assim como projetos de jovens realizadores.

Neste momento temos em mãos um novo documentário, da autoria do jovem realizador austríaco Stefan Lechner, intitulado VADIO.

SINOPSE O documentário desvenda a intensa emoção transmitida pelas músicas e letras do fascinante mundo do Fado Vadio. É um filme sobre fadistas na procura do seu lar e da sua identidade. VADIO acompanha um homem e uma mulher em busca do seu destino.

Estamos por isso atualmente à procura de fadistas, amadores ou semi-profissionais, que residam fora de Portugal. Acima de tudo, estamos interessados em encontrar cantores que gostam de Fado, sejam eles descendentes de portugueses ou não. Para nós, o mais importante é a sua paixão pela música e pelo Fado em particular.

Agradecemos desde já todas as informações que nos possam dar neste sentido, e não hesitem em encaminhar este contacto para quem possa estar interessado, ou nos possa também ser útil.

Todas as informações serão bem vindas para nos ajudar a promover e divulgar a cultura portuguesa, em particular o FADO – Património Imaterial da Humanidade.

Jacinta Barros

PRODUCTION

Real Ficção

vadio@realficcao.com

+351 213 240 061

bit.lyçãoVADIO

Anuncio
A Real Ficção é uma produtora de cinema e televisão, sediada em Lisboa, e criada há mais de 25 anos pelo realizador e produtor Rui Simões.
Procuram-se fadistas.doc
no
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020