logo
rss  Vol. XIX - Nº 338         Montreal, QC, Canadá - quarta-feira, 08 de Abril de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

O Fantástico MUNDO de Marisa

Adelaide Vilela

Entrevista de Adelaide Vilela

Caros leitores, o fantástico Mundo de Mariza, no momento, girava em Carolina do Norte, de onde falou para o LusoPresse. Depois de um interregno de 5 anos, Marisa volta às canções e ao fado que a leva ao mundo: na voz, na alma e no coração. E diz-nos Mariza: «Fiz uma pausa na minha carreira para me dedicar à família e esquecer por uns tempos as digressões e os espetáculos, agora volto com o meu novo disco, Mundo». Este título agradou desde logo à artista que lembra com carinho e muita calma: «Onde vou transporto o Mundo, dentro do meu Mundo, é assim que me sinto feliz e realizada! E nós, contentes, vamos também saboreando as palavras sinceras que a artista deixou transparecer: «Há cinco anos a esta parte existe em mim um crescimento maior e, com este novo disco, convido as pessoas a cantarem a vida e a entenderem o momento presente». Ao concordar com o poeta: «O mundo é composto de mudança», notei uma doçura e um carinho na voz da artista, que nos transmite uma sabedoria e um saber ser e fazer maiores. Daí até viajar com ela em pensamento, não tardou muito tempo… E a inspiração deu à luz e cantei: cantei sem saber cantar, sonhei sem entender o fado, e logo amei meu versejar. E correndo dei um salto com Marisa no seu palco, nas asas do meu pensar.

Em frente do meu salão,

sorridente a Mariza vi passar

com seu Mundo pela mão,

honra e glória em seu cantar!

Como um verdadeiro pólo na expansão da cultura lusíada, através da Canção nacional, Marisa parte em digressão, enaltecendo o nome de Portugal em todo o Globo. Com este seu Mundo na mão e no coração já esteve em diversos países, entre a Europa e as Américas, com os meses de outubro e novembro completamente preenchidos… ai fado meu, fado teu que não a deixas descansar.

MARIZA DSC_6364final1.jpg

Vimo-la em terras de Jacques Cartier, todos. Mariza apresentou um espetáculo no Théâtre Maisonneuve, no Festival Internacional de Jazz de Montreal.

Desde que se fez conhecer em terras de Lisboa, na antiga e valiosa Moraria, em apenas 14 anos, Mariza editou mais de 10 Cds, e recebeu uma grande quantidade de troféus, medalhas de mérito e muitos outros galardões. Na visão de Marisa, ao cruzar fronteiras, não pensa em prémios ou valores monetários, mas sente grande satisfação ao dar-se conta que prestam atenção à sua música, reconhecendo-lhe valor.

Ficamos com uma lágrima no olho ao ouvir contar que em 2002, quando recebeu um prémio em dinheiro, como melhor atuação – no Festival de Verão do Quebeque – doou o dinheiro para o museu do fado, em Lisboa, e para outros estabelecimentos.

É uma querida esta artista! Quando lhe perguntámos qual era a magia ao conseguir trabalhar com músicos nacionais e internacionais, de grande gabarito, respondeu-nos: «Só sei ser sincera e transparente, quando somos muito matemáticos afastamo-nos muito do coração, do visceral. Sou uma pessoa igual às outras, visto a alma para cantar e quando termino, desço do palco, dispo a alma e volto a vestir o meu casaco»!

Temos que concordar, a Mariza que encontramos agora, é uma artista mais dócil, mas simples, uma mulher mais madura e naturalmente muito mais feliz. Depois, vive empenhada em alargar horizontes musicais, respeitando sempre a linha do Fado de Amália que admira, pelo legado que nos deixou, sobretudo. Diz-nos Mariza que Amália Rodrigues é única! «Cada pessoa tem o seu caminho e deve segui-lo para que se integre positivamente naquilo que faz».

Diz-se que Amália gostava de palmas! O gosto da nossa Mariza é inalterável, Mariza contenta-se em apreciar os mimos que recebe: «Eu acho que acabo por cantar em português em qualquer parte do mundo, e é muito bom ser mimada. Os portugueses da diáspora já me habituaram assim, dão-me muitos carinhos por onde passo».

Como nota de conclusão Marisa diz-nos, em relação à nossa pergunta, que é muito gratificante quando alguém a compara com mulheres e artistas famosas. Certo, Mariza preserva a sua identidade sendo de igual modo uma mulher famosa: encanta quando canta e impressiona todas as camadas sociais nos universos que vai conquistando. A Mariza é a ela mesmo, sempre bela e singela! É a princesa com origens africanas e portuguesas, filha de pai português e de mãe moçambicana! A princesa que nasceu para a música, a sonhar com fado!

«Quanto mais eu sei, mais sei que nada sou». Foi um privilégio entrevistar a Mariza para o LusoPresse. Obrigada ao Nuno Cruz que a acompanha e vela pelo bem da estrela, aclamado pelo mundo. Foi um prazer saudá-lo.

Ouvi-la é um soberbo prazer e por isso comprem a sua música, logo ficam com o seu e vosso Mundo no coração, o seu novo disco, MUNDO.

Música
Caros leitores, o fantástico Mundo de Mariza, no momento, girava em Carolina do Norte, de onde falou para o LusoPresse. Depois de um interregno de 5 anos, Marisa volta às canções e ao fado que a leva ao mundo: na voz, na alma e no coração. E diz-nos Mariza: «Fiz uma pausa na minha carreira para me dedicar à família e esquecer por uns tempos as digressões e os espetáculos, agora volto com o meu novo disco, Mundo».
O Fantastico MUNDO de Marisa.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020