logo
rss  Vol. XIX - Nº 338         Montreal, QC, Canadá - quinta-feira, 20 de Fevereiro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Curso para dirigentes da Diáspora

Destacado sucesso

O Diretor Regional das Comunidades salientou a semana passada, em Angra do Heroísmo, o «sucesso» da primeira edição do Curso para Dirigentes Comunitários da Diáspora Açoriana, considerando que esta iniciativa «cumpriu integralmente os seus objetivos», contribuindo para «uma melhor preparação dos representantes açorianos, com vista à divulgação dos Açores de hoje e das suas diversas potencialidades».

«Após cinco dias de trabalho intensivo, preenchidos com diversas formações e visitas efetuadas a empreendimentos estratégicos, temos a convicção de que, doravante, os nossos líderes comunitários estão melhor preparados para, nas sociedades de acolhimento, disseminarem a riqueza da nossa Região, a sua diversidade económica e as múltiplas oportunidades de investimento que oferecemos», afirmou Paulo Teves no encerramento deste curso, que decorreu nas ilhas de São Miguel e Terceira.

Para o Diretor Regional, «as Casas dos Açores e tantas outras associações representativas da nossa Diáspora têm alargado e diversificado as suas áreas de intervenção, para além do meritório trabalho que, há vários anos, desenvolvem nos âmbitos cultural e social», acrescentando que têm correspondido crescentemente ao incentivo do Governo Regional e, em especial após esta formação, «representam uma mais valia na estreita cooperação que mantêm com a Região, assumindo-se, deste modo, como verdadeiros pólos promotores e divulgadores da nossa atualidade arquipelágica».

Na primeira edição desta formação, participaram 11 organizações comunitárias, nomeadamente as Casas dos Açores do Canadá (Ontário, Quebeque e Winnipeg), dos Estados Unidos da América (Nova Inglaterra e Hilmar), da Bermuda e de Portugal continental (Norte, Lisboa e Algarve), bem como o Centro Cultural Português de Mississauga, de Ontário, e o Portuguese Athletic Club de São José, na Califórnia.

Os 15 formandos cumpriram um programa que incluiu 13 workshops sobre variados temas, entre os quais a História e Autonomia dos Açores, a atividade turística, as oportunidades de investimento nos Açores, a Marca Açores e os sistemas de incentivos, entre outros, para além de visitas a empresas e centros de investigação.

Na sua intervenção, Paulo Teves destacou o empenho, interesse e dedicação dos participantes, que «voluntária e prontamente responderam ao desafio», salientando que assumiram o «compromisso de colaborarem com o Executivo no desenvolvimento da Região Autónoma dos Açores fora do espaço insular».

Com esta iniciativa, o Governo dos Açores pretende potenciar o papel das várias instituições que, através dos seus dirigentes, assumem uma relação de proximidade e de relevância junto das comunidades açorianas e da esfera económica, política e social destas comunidades, revelando-se determinantes na projeção externa e internacionalização dos Açores.

O Diretor Regional das Comunidades frisou que, «dado o sucesso desta iniciativa, o Governo dos Açores reitera o compromisso de realizar no próximo ano mais um curso de formação, mas adaptado aos jovens das Casas dos Açores», conforme foi anunciado pelo Subsecretário Regional da Presidência para as Relações Externas na Assembleia-geral do Conselho Mundial das Casas dos Açores, que decorreu em setembro, no Canadá.

Açores
O Diretor Regional das Comunidades salientou a semana passada, em Angra do Heroísmo, o «sucesso» da primeira edição do Curso para Dirigentes Comunitários da Diáspora Açoriana, considerando que esta iniciativa «cumpriu integralmente os seus objetivos», contribuindo para «uma melhor preparação dos representantes açorianos, com vista à divulgação dos Açores de hoje e das suas diversas potencialidades».
Curso para dirigentes da Diaspora.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020