logo
rss  Vol. XIX - Nº 336         Montreal, QC, Canadá - quarta-feira, 03 de Junho de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Campeonato da Major League Soccer

Impacto tem caminho aberto para a fase eliminatória

Norberto Aguiar

Por Norberto Aguiar

No nosso trabalho sobre a carreira do Impacto, publicado na edição passada, dávamos conta da subida de rendimento da equipa de futebol do Impacto. Essa subida de rendimento consubstanciava-se na obtenção de melhores resultados que, agora, colocam a equipa numa posição favorável em relação à fase final da temporada, e que é, como já sabem, disputada em jogos a eliminar e que, depois, levam os vencedores a erguerem a Taça da MLS, o seu troféu mais importante, mesmo se há, no entremeio, uma taça para entregar à equipa que termina o Campeonato, de 34 jornadas, em primeiro lugar...

Setembro muito positivo

Depois de um mês de agosto difícil, o Impacto entrou em setembro com ganas de provar que tinha equipa para fazer melhores resultados. E a verdade é que assim aconteceu. O primeiro jogo de setembro deu logo vitória, por 4-3, contra o Chicago Fire. Seguiram-se-lhe dois empates na Califórnia, perante o campeão de 2014, o La Galaxy, e diante do San Jose Earthquake. Dois empates (0-0 e 1-1) que se podem considerar quase como vitórias, principalmente no primeiro caso, por ter sido obtido em confronto com uma equipa que é campeã e que tem nas suas fileiras dos melhores jogadores de toda a América, como sejam Robbie Keane (internacional irlandês), Omar Gonzalez (internacional americano), Steve Gerrard (internacional inglês), Giovano dos Santos (internacional mexicano), entre outros ótimos jogadores.

AudiSundayRecap_2.jpg
Cyle Larin.
Foto Time Lapse Camera.

De regresso a Montreal, o Impacto voltou às vitórias ao bater, primeiro o Revolution da Nova Inglaterra, por 3-0; depois, ao derrotar o DC United, agora por 2-0. Em ambos os jogos, o Impacto fez duas excelentes exibições, que não só resultaram em vitórias indiscutíveis como surpreendeu os seus valorosos adversários, ambos classificados no pelotão da frente da sua série, a de Este do continente. Outra vitória (2-1) do Impacto neste período aconteceu de novo contra o Chicago Fire, em jogo que estava marcado para abril passado mas que não se realizou então porque o Impacto estava a disputar a Liga de Campeões da CONCACAF.

A influência de Drogba

Para esta repentina melhoria do Impacto, um jogador acabou por ter importância decisiva. Esse jogador foi Didier Drogba que, em quatro jogos marcou sete golos, o que dá uma média de quase dois golos por jogo.

A chegada de Drogba ao Impacto, que mereceu críticas mais ou menos veladas de desportistas de meia-tigela, foi de uma visão espetacular, como o seu rendimento está a provar. Não só o internacional africano está a marcar golos decisivos, como está a motivar os seus colegas para que dêem tudo o que têm em campo! A sua integração na equipa é de tal ordem que ele até chega a atribuir mérito seu aos seus companheiros, nomeadamente aos mais jovens. Que o diga Dilly Duka, no último jogo – vitória, por 2-0, diante o DC United. Sabe-se que foi Drogba a marcar os dois golos da vitória. E sabe-se que, no fim da contenda, Drogba foi escolhido como melhor elemento em campo, coisa que se aceitou sem nenhuma forma de oposição. Mas, ao lado, como companheiro de ataque, esteve Duka, que também arrancou uma exibição de grande classe. Pois Drogba, falando para os jornalistas elencou que o melhor em campo devia ser o jovem americano. Todos ficaram surpreendidos, com o principal interessado a reagir em forma de pergunta: – o Drogba disse isso? Acabou, como está bem de se ver, por ser uma bela prova de companheirismo da parte de um atleta de classe mundial como é Drogba!

Mauro Biello no comando

Nunca fomos com a cara – sobretudo com a competência... – de Frank Klopas. Achámo-lo, no seu consulado, um treinador aquém das necessidades do Impacto. No aspeto tático, principalmente. E disso fizemos eco aqui nestas páginas. Mas não concordámos com a forma como foi despedido. Para nós, excetuando a prestação do Impacto na Liga dos Campeões da CONCACAF, muitas ocasiões houve para mandar embora o americano. Não o fizeram e, quando a equipa esperava um reforço de gabarito como Didier Drogba, «toma lá este brinde...» e vá embora.

A conclusão da história é que Mauro Biello, o seu adjunto principal, acabou por beneficiar de condições inigualáveis, como estão à vista, pois a inclusão de Drogba tem resolvido quase tudo. Trouxe motivação aos colegas, inspirados agora por um jogador de nível mundial; e com ele vieram os golos. Tudo junto tem dado para o Impacto ser uma melhor equipa.

Tal como os jogadores, também Mauro Biello entrou na dança. E como a equipa começou a ganhar com melhor e maior sequência, tudo bem, que temos treinador. Mas sem sermos pessimistas nem agoirentos, vamos esperar para ver até que ponto Mauro Biello pode ser o comandante do difícil barco que é o Impacto.

Cyle Laurin com muito para dar

Na equipa do Orlando SC há bons jogadores, a começar por Kaká. O lateral direito Rafael Ramos, produto das escolas do Benfica de Portugal, também se está a formar como um belíssimo jogador. Mais dois ou três anos e temos homem para lutar pela ala defensiva direita da Seleção Nacional.

E podíamos ainda falar de Aurélien Collins, um francês que chegou a jogar pelo Vitória de Setúbal... Ou do internacional americano Brek Shea. Mas não. Vamos falar é de um jogador canadiano.

O seu nome é Cyle Laurin, nasceu em Brampton, no Ontário. Foi novo estudar para os Estados Unidos. No ano passado ainda jogava nos colégios/universidades americanos. Foi a primeira escolha da MLS aquando da sua reunião anual de defeso da temporada. Hoje joga como ponta de lança no Orlando SC. É o melhor marcador da equipa, com 14 golos, que fazem dele o melhor recruta de toda a liga em 20 anos de existência. Atualmente já é o avançado da Seleção do Canadá apesar dos seus 20 anos. Entroncado, com um 1,90 metros de altura, velocidade quanto baste, poderoso nos remates, de preferência com o pé direito, Laurin também é bom de cabeça, só lhe faltando, como se compreende, um pouco mais de experiência para ser já vedeta do futebol internacional. Mas não faltará muito para que equipas de mais prestígio o possam vir buscar.

Quem viu, como nós, o recente Red Bull Nova Iorque x Orlando SC, que terminou com a vitória do Orlando, por 5-2, apesar de estar a jogar fora e diante do primeiro classificado da Zona Este da Major League Soccer, no qual Cyle Laurin marcou três golos de grande oportunidade e classe, só pode acreditar que Cyle Laurin será, a breve trecho, um dos pontas de lanças mais requisitados internacionalmente.

Para bem do futebol canadiano, e norte-americano, oxalá que isso aconteça. Mas primeiro é preciso continuar a dar-lhe condições para evoluir tranquilamente, e que ele não tenha entretanto lesões...

Próximos jogos do Impacto

Dia 3 de outubro

Orlando x Impacto

Dia 7 de outubro

Nova Iorque x Impacto

Dia 10 de outubro

Colorado x Impacto

Dia 17 de outubro

Revolution x Impacto

Domingo, dia 25 de outubro

Estádio Saputo, às 17 horas

Impacto x Toronto FC.

Desporto
No nosso trabalho sobre a carreira do Impacto, publicado na edição passada, dávamos conta da subida de rendimento da equipa de futebol do Impacto. Essa subida de rendimento consubstanciava-se na obtenção de melhores resultados que, agora, colocam a equipa numa posição favorável em relação à fase final da temporada, e que é, como já sabem, disputada em jogos a eliminar e que, depois, levam os vencedores a erguerem a Taça da MLS, o seu troféu mais importante, mesmo se há, no entremeio, uma taça para entregar à equipa que termina o Campeonato, de 34 jornadas, em primeiro lugar...
Campeonato da Major League Soccer.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020