logo
rss  Vol. XIX - Nº 332         Montreal, QC, Canadá - terça-feira, 07 de Julho de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Editorial

Por um novo Presidente

Carlos de Jesus

Por Carlos de Jesus

Com a visita do Secretário de Estado das Comunidades aos Estados Unidos e Canadá, pode-se dizer que já começou a campanha eleitoral para eleger o novo Presidente da República Portuguesa em janeiro do próximo ano junto da emigração.

Convém frisar que esta é uma das raras eleições importantes para as quais os emigrantes portugueses estão convidados.

Não nos compete a nós aconselhar a votar em quem quer que seja para ocupar o lugar de Presidente de todos os portugueses.

Mas não nos podemos privar de deixar aqui algumas pistas de reflexão.

Primeiro, e como sempre, a grande maioria dos eleitores não vota por, mas vota contra.

Pensamos que esta é uma boa estratégia.

Devemos pois votar contra todo o candidato que nos parece enfermar das maleitas do atual inquilino do Palácio Nacional de Belém.

A saber:

Não ser mentiroso (Numa visita a Goa, Cavaco Silva defendeu o modelo de flexissegurança, que facilita os despedimentos, mas confere uma maior proteção social aos empregados. Uma vez chegado a Lisboa, quando questionado sobre o caso, responde: «Nunca me ouviu falar nisso»).

Não se aproveitar da sua posição para enriquecimento pessoal (Caso da SLN e BPN: Cavaco Silva e a sua filha foram, entre 2001 a 2003, acionistas convidados da Sociedade Lusa de Negócios, detentora do Banco Português de Negócios. Cavaco Silva comprou as ações a 1 €, logo em seguida venderam-nas por 2,40 € cada uma, lucrando cerca de 357 mil €. Caso da Herdade da Coelha: Cavaco Silva adquire uma moradia na Urbanização da Coelha por um valor abaixo do estipulado pelo mercado e com isenção do SISA. As obras de construção da casa só tiveram a licença devida 3 meses depois de estar pronta).

Não ser mesquinho contra os adversários políticos (Cavaco Silva ausentou-se das cerimónias fúnebres do Prémio Nobel da Literatura, José Saramago).

Não usar de financiamento ilegal para a sua campanha eleitoral (Cavaco Silva recebeu 100 000 € de pessoas ligadas ao BPN; a lei proíbe donativos de pessoas coletivas).

Não votar nos candidatos tarimbeiros que põem o partido acima do país (Em 36 anos de Democracia pós-Estado Novo, Cavaco Silva esteve presente em altos cargos públicos durante 16 anos!!! É indesmentível que é o maior responsável pela situação em que o país se encontra atualmente, mas quer continuar a passar-se por «anjinho»).

Não votar num candidato que acumula (Cavaco Silva deixou correr a ideia de que iria prescindir do seu ordenado como Presidente da República a partir de janeiro de 2011 (6 523 €), contudo a decisão só surgiu após aprovação da legislação socialista que põe fim à acumulação de pensões com vencimentos do Estado a partir de janeiro desse ano. Cavaco Silva acumula duas pensões, a de professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e a de reformado do Banco de Portugal, totalizando cerca de 10 000 €/mês).

Todos estes factos aqui apresentados podem ser facilmente corroborados numa pesquisa à imprensa portuguesa na Internet.

Votar sim, mas com a cabeça.

Editorial
Com a visita do Secretário de Estado das Comunidades aos Estados Unidos e Canadá, pode-se dizer que já começou a campanha eleitoral para eleger o novo Presidente da República Portuguesa em janeiro do próximo ano junto da emigração.
Editorial.doc
no
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020