logo
rss  Vol. XIX - Nº 325         Montreal, QC, Canadá - segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Major League Soccer

Sempre a crescer (2ª parte)!

Norberto Aguiar

Por Norberto Aguiar

Na nossa edição passada, naquela que foi a primeira de duas partes do nosso trabalho sobre a Major League Soccer, falámos das equipas da zona Este do Campeonato da MLS. Desta vez vamos, aqui, falar da zona Oeste, também composta por 10 equipas, uma a mais do que nas épocas anteriores, quando somente aquela estrutura, chamemo-lo assim, integrava nove formações... De resto, perdida a Chivas USA, logo chegaram para esta zona Oeste o Dynamo de Houston e o Sporting Kansas City, de forma a completar o ramo de 10 equipas e, assim, igualar o número dos vizinhos da zona Este.

Para que assim fosse, a MLS beneficiou da entrada de mais duas equipas nos seus quadros, precisamente a New York City FC – a segunda formação da Nova Amesterdão do Norte – e da Orlando City FC, oriunda da cidade do mesmo nome, aquela que alberga o Walt Disney, na Florida.

Porque aquelas duas equipas estão geograficamente na parte leste dos Estados Unidos, então foi necessário deslocar o Dynamo e o Sporting para o lado Oeste do continente de maneira a que cada uma das zonas ficasse com 10 clubes. A passagem do Dynamo e do Sporting para oeste, talvez contrariados, por ser aquela zona considerada a mais poderosa em termos de equipas, a começar pela presença do campeão, o Los Angeles Galaxy, vem reforçar ainda mais essa ideia: a zona Oeste tem equipas mais niveladas por cima!

Mas vamos à apreciação das forças em presença.

Impacto vitoria image.jpg
Que época para o Impacto este ano?

Seattle Sounders, 64 pontos – Nos últimos anos, esta equipa do Estado de Washington, paredes-meias com a Colômbia Britânica, tem vindo a marcar uma presença firme no seio da MLS. Primeiro abrindo um espaço muito positivo na tabela classificativa da sua divisão, para, nos últimos anos, ter subido até a um dos pontos mais altos do futebol norte-americano, como no ano passado quando terminou a época no primeiro lugar do Campeonato, com 64 pontos, mais três do que o seu grande rival, o Los Angeles Galaxy.

Antes, o Sounders já vinha dando nas vistas muito por mérito de ter conquistado a Taça dos Estados Unidos. Que de resto venceu, de novo este ano, ao bater na final o União de Filadélfia (1-0). Além disso, e como se deduz do seu primeiro lugar, o Sounders também venceu o Campeonato da sua zona, à frente do Los Angeles Galaxy.

Tendo vencido, em 2014, o Campeonato da Major League Soccer, a Taça dos Estados Unidos e o primeiro lugar da sua zona, o Sounders não foi entretanto capaz de vencer a Taça da MLS que é, para todos os efeitos, a prova rainha da liga... A sua carreira terminou nas meias-finais – correspondente à final de zona!... – diante, já imaginaram, do Los Angeles Galaxy...

Com uma média de mais de 40 mil espetadores por jogo, o Sounders de Seattle, pode dizer-se, é das equipas com mais futuro na MLS. Daí não admirar, pois, que nos próximos campeonatos sejam os homens de Sigi Schmid a dar cartas aos seus antagonistas.

La Galaxy, 61 pontos – Terminou, na sua zona, e no Campeonato da Liga, na segunda posição, imediatamente atrás do Sounders. Mas, nas eliminatórias de fim de temporada, o La Galaxy foi por aí fora até arrebatar a final, que lhe conferiu o quinto troféu; e fez dela a equipa mais ganhadora da Major League Soccer, com cinco vitórias, mais uma do que o DC United...

Mas nessa safra, o La Galaxy ainda contava com o grande Landon Donovan, o melhor jogador de futebol dos Estados Unidos de todos os tempos e um dos melhores do mundo do futebol atual...

Reformado como jogador, não como homem do futebol, pois neste momento não lhe faltam ofertas de trabalho, nomeadamente como comentador, Donovan, queríamos dizer, vai fazer muita falta à equipa, mesmo se Steven Gerrard, o internacional do Liverpool, já está contratado para o substituir...

De resto, ou nos enganamos muito, ou este ano o La Galaxy não só não ganha a Taça da MLS como nem chega à final. E porque isso vai acontecer, a razão principal, do nosso ponto de vista, terá muito a ver com a falta de Landon Donovan.

Real Salt Lake, 56 pontos – Equipa muito certinha, esta do Real Salt Lake. Em 2014 teve altos e baixos, é verdade, mas mostrou ser sempre um adversário a ter em conta.

Já uma vez campeão, esta formação do Utah só não ganha troféus mais vezes por estar na zona em que está, a Oeste.

Sempre com o estádio cheio e sem grandes nomes, porque nem sequer tem usado a premissa do jogador «franquia», o Real – equipa de vermelho, quando o nome poderá dar a sensação de que equipará de branco... – tem um leque de jogadores muito bom, mas onde a vedeta está mais inclinada para ser a própria equipa. Tem sido isso o grande trunfo do Real Salt Lake, de tal forma que nem todas as equipas se mostram muito interessadas em defrontar o grupo.

Sempre sem grandes vedetas, aí está o Real Salt Lake para mais uma época que promete e na qual o principal objetivo é participar no bloco eliminatório de fim de temporada.

FC Dallas, 54 pontos – Outra equipa que tem bom plantel e que também já foi campeão. Porém, nos últimos anos, o FC Dallas tem ficado aquém das expectativas, pois os seus dirigentes e adeptos querem mais da equipa.

Vá lá que na época passada a equipa conseguiu apurar-se para o play off, onde deu boa réplica, insuficiente porém para se chegar mais à frente.

Em 2015, com duas jornadas disputadas, o FC Dallas não podia ter começado melhor, pois venceu os dois confrontos em que tomou parte, querendo isso dizer que é desta que a equipa dirigida por Óscar Pereja pode almejar a algo de importante?

Mas para que isso aconteça, a verdade é que o FC Dallas tem que contar com maior apoio do público, já que, com estádio novo erigido somente para o seu futebol, raras são as vezes que ele se esgota... Vá lá que uma média de 17 ou 18 mil espetadores por jogo não seja má, a verdade é que uma equipa que quer ser campeã tem de ter muito mais do que aqueles números... sobretudo se comparados com os 40 mil do Seattle!

Whitecaps de Vancouver, 50 pontos – Pensou-se que 2014 seria um bom ano para o Whitecaps. Afinal, as coisas não correram como eram esperadas. Derrota no Campeonato Canadiano e classificação de última hora para a competição de fim de ano na MLS... Depois, mesmo se deu boa resistência, o Whitecaps ficou-se pela primeira eliminatória, mesmo se se pensava que tinha equipa e jogadores para ir mais além.

Não foi. Ficou com o mesmo treinador. Dos jogadores, que já eram bons, alguns até foram para outras paragens... Mas vieram substitutos de boa cepa. Agora espera-se que dê para que o Whitecaps possa lutar por um dos lugares cimeiros, isto para agrado de todos os canadianos.

Portland Timbers, 49 pontos – Equipa que tem prometido muito mas que tem, de certa forma, dececionado. Ainda agora começou a nova época e em dois jogos tem um ponto, obtido em casa, no último jogo, diante do La Galaxy.

Com mais uma série de trocas, mas com a ausência de dois dos seus pilares, o canadiano Will Johnson, e Valery (argentino que já jogou no Porto), ambos lesionados, o Timbers tem obrigação de fazer melhor, muito melhor. Até porque os adeptos são dos melhores da liga, não regateando apoio em todos os jogos, quer estejam a ganhar quer estejam a perder... E mais. O estádio, no ano inteiro, está sempre esgotado, o que prova o amor que os adeptos têm pela equipa e pelo clube.

Esta temporada gostava que o Timbers fosse uma das equipas sensação, sobretudo pelo que fazem os seus adeptos.

Chivas USA, 33 pontos – Equipa que marcou uma época na MLS, infelizmente acabou por desaparecer. Irmã gémea do Chivas Guadalajara mexicana, a Chivas USA foi perdendo terreno através dos anos ao ponto de a liga decidir fechar-lhe as portas. Foi o que aconteceu no fim da época passada. É preciso dizer que o Chivas USA, com sede na cidade de Los Angeles, viveu quase sempre na sombra do La Galaxy, mesmo se chegou a ganhar campeonatos...

Na expectativa de uma grande rivalidade num dos melhores mercados futebolísticos dos Estados Unidos, a direção da Major League Soccer já deu o aval favorável para a criação de uma nova equipa naquela que é segunda cidade mais populosa dos Estados Unidos e que se vai chamar Los Angeles FC. A entrada desta equipa na MLS está já decidida para o ano de 2017.

Colorado Rapids, 32 pontos – Situada na cidade de Denver, esta equipa que ainda não há muitos anos foi campeão da Liga, fez uma desastrosa temporada em 2014. E desastrosa não porque tivesse maus jogadores... Mas, é certo que quando as coisas não correm bem numa liga onde as equipas têm um valor muito igual, sabe-se como é, entra-se numa de desmoralização e os resultados nunca mais aparecem. Foi, em nossa opinião, o que aconteceu ao Rapids.

Para este ano, o treinador, apesar dos maus resultados da temporada passada, continua a ser o mesmo, esperando-se que tenha sabido encontrar as soluções devidas para que este ano a equipa possa realizar uma temporada mais de acordo com os seus pergaminhos.

San Jose Earthquakes, 30 pontos – Cá está um caso difícil de decifrar. Uma equipa com excelentes jogadores, alguns deles oriundos de seleções que no verão passado estiveram no Campeonato do Mundo do Brasil e que acaba no último lugar da sua zona, com apenas 30 pontos – a 34 do primeiro lugar!...

É verdade que houve algumas lesões de elementos fundamentais, como o defesa internacional americano Goodson, mas não dá, assim mesmo, para perceber tal descalabro... sobretudo que, em 2013, esta equipa até tinha ganho o Campeonato regular, vencido de forma convincente.

Mas é assim o futebol. E numa liga como a Major League Soccer, onde os orçamentos são praticamente nivelados, dá que hoje uma equipa está por cima mas, logo de seguida pode estar por baixo. Muito diferente do que acontece em Portugal, onde o Benfica e o Porto estão à parte, principalmente porque estão protegidos por meio dos respetivos orçamentos, para não adiantar mais nada...

Agora resta esperar pelo que vai acontecer nesta temporada que acaba de receber mais duas equipas, o Orlando City FC e o New York City FC.

Desporto
Na nossa edição passada, naquela que foi a primeira de duas partes do nosso trabalho sobre a Major League Soccer, falámos das equipas da zona Este do Campeonato da MLS. Desta vez vamos, aqui, falar da zona Oeste, também composta por 10 equipas, uma a mais do que nas épocas anteriores, quando somente aquela estrutura, chamemo-lo assim, integrava nove formações... De resto, perdida a Chivas USA, logo chegaram para esta zona Oeste o Dynamo de Houston e o Sporting Kansas City, de forma a completar o ramo de 10 equipas e, assim, igualar o número dos vizinhos da zona Este.
Major League Soccer.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020