logo
rss  Vol. XIX - Nº 322         Montreal, QC, Canadá - terça-feira, 25 de Fevereiro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Nova época

Impacto regressou ao trabalho

Norberto Aguiar

Por Norberto Aguiar

O Impacto de Montreal começou a época de 2015 no passado dia 24 de janeiro. Os treinos foram ministrados no Estádio Olímpico devido à temperatura, claro, pouco clemente nesta altura do ano em Montreal, no Quebeque e no Leste do país.

Foram duas semanas intensas de trabalho, de maneira a desenferrujar os jogadores, que para o Impacto já não jogam desde fins de outubro. É muito tempo como devem perceber… Neste aspeto somos de opinião que a Major League Soccer deveria encontrar uma solução, visto que as equipas que ficam fora das eliminatórias estão em desvantagem em relação àquelas que continuem em prova; uma prova que vai, como se sabe, até ao primeiro fim de semana de dezembro.

Depois deste primeiro período, o Impacto abala para o México no domingo, dia 8 de fevereiro para mais duas semanas de preparação, agora de forma a adaptar-se ao clima do país asteca, de maneira a estar na melhor condição possível quando a 24 de fevereiro defrontar o clube de futebol local Pachuca, em jogo relativo aos quartos-de-final da Liga dos Campeões da CONCACAF, para onde se classificou depois de ganhar o seu respetivo grupo.

Filipe 2.jpg

De novo com Franck Klopas como treinador – também funciona um pouco como manager –, o Impacto de Montreal aparece em 2015 com muitas caras novas até no seu staff. Lembre-se aqui que Matt Jordan, diretor técnico até agora, deixou o clube para ir para o Dynamo de Houston, onde funcionará como diretor-geral deste clube. No Impacto, ele foi rendido por Adam Braz, outro antigo atleta do clube. Ainda no corpo técnico, para 2015, contratou-se Enzo Concina, que era até agora treinador-adjunto no DC United e que vem ocupar as mesmas funções no Impacto. O sacrificado foi Nikolaos Kounenakis, amigo de Klopas e que esteve em Montreal apenas uma época.

Quanto ao plantel, também se operaram modificações, algumas com alguma surpresa, casos de Matteo Ferrari, defesa central titular toda a temporada passada e que não serve para continuar, de Troy Perkins, primeiro guarda-redes, mas caído em desgraça no final da época… e Heath Pearce, ex-internacional americano, que sempre que jogou demonstrou que tinha condições para ter lugar na equipa. Em menor escala está a saída do internacional canadiano Issey Nakajima-Farran, despedido nestes últimos dias quando tudo levava a crer que faria parte do plantel de 2015.

Como reforços, o Impacto foi buscar o argentino Victor Cabrera, do River Plate. É defesa, jovem e, segundo se diz, tem muito potencial. Marco Donadel, italiano com 31 anos e procedente do Verona, depois de ter passado pelo Nápoles, Fiorentina, etc., que aqui já apresentámos. Diz-se, igualmente, que é um jogador valoroso e com liderança, não tivesse ele sido capitão nalgumas das equipas em que jogou, nomeadamente na Fiorentina. Eric Kronberg veio do Sporting Kansas City para substituir Troy Perkins. Espera-se que este americano de 31 anos possa confirmar todo o seu potencial, durante muito tempo escondido por via da presença de um dos melhores guarda-redes da MLS, Jimmy Nielssen. Nigel Reo-Coker, inglês que passou por Bolton, Aston Villa e West Ham, chegando a ser suplente da Seleção de Inglaterra depois de ter alinhado pelas seleções jovens do seu país, também foi contratado. Chegou em 2013 a Vancouver, passou pelo Chivas em 2014 e, agora, aos 30 anos, ingressou no Impacto como um dos mais importantes reforços. Vamos a ver no que dá. As esperanças são muitas…

Com menos nome mas não inferiores, como dizem os responsáveis, vieram para completar o grupo, o maliano Bakare Soumare, proveniente do Chicago Fire, e Donny Toia, defesa americano do Chivas. A estes, junta-se o jovem Romario Williams, jamaicano repescado no decorrer do recente Super-Draft.

Filipe 1.jpg
Como bom brasileiro que é, Filipe é um jogador cheio de técnica.

Dos que ficaram, os olhos dos adeptos montrealenses estão virados para Ignacio Piatti, que em 2014 deixou muita água na boca, mesmo se chegou à equipa quase no fim da temporada. Este argentino de 29 anos, que já jogou na Europa e veio do campeão da Taça dos Libertadores – o equivalente da Liga dos Campeões na Europa – pelo que demonstrou no pouco tempo em que jogou para o Impacto, tem muitas condições para ser a «vedeta» da formação quebequense.

Dos restantes, muita coisa há a provar, a começar pelos atacantes, um setor que nos parece ter sido negligenciado. Anthony Jackson-Hamel, produto local, Andrès Romero, argentino que de emprestado passa agora para jogador do Impacto, Jack Mc Inerney, jovem americano de muito talento mas ainda com muito a provar, e Romario Williams, jamaicano acabadinho de ser recrutado no meio universitário, parecem-nos escassos para liderarem um ataque que se vai confrontar com autênticas feras.

Como já vimos, duas semanas de preparação no Estádio Olímpico como pontapé de partida da época; duas semanas de treino no México, seguidas do jogo da Liga de Campeões a 24 de fevereiro, ainda no México; e regresso a Montreal para o segundo e decisivo jogo internacional, onde se vai saber se o Impacto passa ou não às meias-finais. O desafio decisivo terá lugar no Estádio Olímpico, no dia 3 de março.

O Campeonato da MLS, por sua vez, começa no dia 6 de março, quando se defrontarão, em Los Angeles, o campeão de 2014 La Galaxy e o Chicago Fire. O Impacto, no seu primeiro embate, no dia 7 de março, vai até à capital dos Estados Unidos para defrontar o DC United.

Última hora!

Desejosos de darem mais «músculo» à equipa, os dirigentes do Impacto acabam de fazer uma sensacional troca de jogadores com o Red Bull Nova Iorque. Assim, decidiram prescindir de Filipe, o único lusófono do clube e foram, na troca, buscar dois internacionais, um americano, Alexander, e o outro camaronês, Obyongo – esteve com o seu país na recente Taça das Nações Africanas. Além dos dois jogadores, o Impacto ainda recebeu uma boa quantia em dinheiro que deu para investir na vinda de Oduro, outro internacional (do Gana) que pertencia aos quadros do Toronto FC.

A valia de Filipe, muito aquém, em nossa opinião, da troca em questão, só foi possível, em nosso entender e de muitos outros analistas, porque Jesse March, antigo treinador do Impacto no seu primeiro ano de MLS, tinha particular admiração pelo brasileiro, sendo ele até quem o foi buscar ao futebol da Suíça, e que a partir desta época assume o cargo de treinador do Red Bull...

A outra razão é que Frank Klopas não tinha o Filipe como peça importante no xadrez que está implementando para esta nova temporada. Isso mesmo se verificou na época passada, quando o brasileiro perdeu influência no conjunto ao ponto de ser várias vezes substituído ou até mesmo suplente...

Em resumo, com o recrutamento destes três últimos jogadores (Oduro, que é atacante, Obyongo, defesa esquerdo e Alexander, médio polivalente), o Impacto está mais equipa, sem que com isso a vejamos discutir os primeiros lugares...

Desporto
O Impacto de Montreal começou a época de 2015 no passado dia 24 de janeiro. Os treinos foram ministrados no Estádio Olímpico devido à temperatura, claro, pouco clemente nesta altura do ano em Montreal, no Quebeque e no Leste do país.
Nova epoca222.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020