logo
rss  Vol. XVIII - Nº 318         Montreal, QC, Canadá - quarta-feira, 03 de Junho de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

No Parque Pedro da Silva, em Laval

Inaugurado monumento aos Combatentes Portugueses

Norberto Aguiar

Por Norberto Aguiar

O núcleo quebequense da Liga dos Combatentes Portugueses inaugurou sábado passado, no Parque Pedro da Silva, em Laval, um monumento dedicado a todos os Combatentes Portugueses do Quebeque. A cerimónia contou com a presença de muitos antigos soldados, alguns familiares, amigos e convidados, como veremos mais adiante. Presidiram ao ato o presidente do Núcleo Quebequense, o engenheiro António Santiago, e o novo cônsul-geral de Portugal em Montreal, Dr. José Guedes de Sousa.

Combatentes 2.jpg
Apesar da temperatura, várias pessoas enfrentaram o frio para assistir à inauguração do Monumento aos Combatentes Portugueses, presidida pelo cônsul-geral de Portugal, Dr. José Guedes de Sousa, e pelo engenheiro António Santiago, presidente do Núcleo do Quebeque, na foto, à esquerda.
Fotógrafo Raul Mesquita

Depois de «cortada a fita», usaram da palavra aquelas duas individualidades, com António Santiago a dizer, nomeadamente, que «... este monumento representa e lembra todos os que viveram a guerra...», referindo-se especificamente à guerra em África, no período que mediou o seu início, em 1961, e o seu fim, por alturas do 25 de abril de 1974. Já José Guedes de Sousa, na sua condição de representante do governo português, diria que «Trata-se, falando do monumento, de uma justa homenagem a todos os combatentes». «Os que morreram em África honraram Portugal», diria ainda o nosso representante diplomático.

Terminada a cerimónia e devido ao frio intenso que se fazia sentir na tarde de sábado passado, rapidamente os presentes se dirigiram para o interior do Centro Comunitário de Nossa Senhora de Fátima, onde pelas 19 horas se daria início ao jantar de confraternização entre «irmãos de armas».

Antes, porém, o padre Carlos Dias, responsável pela Missão de Nossa Senhora de Fátima e capelão adstrito ao Núcleo dos Combatentes do Quebeque, presidiria à Missa em honra de todos os militares falecidos em combate.

Combatentes1.jpg
A partir de agora, quando passar pelo Centro Comunitário da Missão Portuguesa de Nossa Senhora de Fátima de Laval, não deixe de visitar, no Parque Pedro da Silva, adjacente ao Centro, o monumento dedicado aos Combatentes Portugueses.
Fotógrafo Raul Mesquita

Com o fim da Eucaristia, foi dado início ao jantar, onde estiveram presentes cerca de 200 pessoas – avaliação nossa, registe-se. Entre elas, notámos a presença dos deputados federais José Nunez Melo e François Pilon, e o deputado provincial Guy Ouelette, todos eleitos em circunscrições da cidade de Laval. Aline Lib, vereadora municipal, marcou também presença, substituindo o presidente da Câmara Municipal de Laval, que depois de ter confirmado a sua presença, acabou por não comparecer...

Mas a mesa de honra ainda contou com mais algumas individualidades. E do lado português saliente-se a diretora-geral da Caixa Desjardins Portuguesa, Jacinta Amâncio, o presidente do Clube Portugal de Montreal, por sinal, a organização que alberga o Núcleo dos Combatentes, António Moreira (também foi militar e, até, polícia de Segurança Pública); mais Manuel Barreto, presidente do Núcleo de Toronto e que quis prestar solidariedade aos companheiros do Quebeque. Uma panóplia de pessoas muito interessadas por atos comunitários, digamos assim, e que quiseram, com a sua presença, abrilhantar o acontecimento.

Sem animação musical, o serão organizado pelo Núcleo dos Combatentes Portugueses do Quebeque começou com o toque de alvorada, o hino dos combatentes, seguidos dos hinos de Portugal e Canadá. O padre Carlos Dias encarregou-se, logo a seguir, de benzer a refeição.

Depois de um programa alargado, o final das comemorações deu-se pelas 22h30.

Cruz de Guerra

Combatentes 4.jpg

Entre os militares presentes nestas comemorações encontrámos um que ostentava a Cruz de Guerra, uma insígnia só atribuída a gente valorosa. E esse ex-militar, que conhecemos desde que chegámos a esta terra, é Manuel dos Santos. Pela surpresa e não só, chegámos à fala com ele. «Sim. Sinto orgulho por isso», disse-nos sem particular entusiasmo. Voltámos à carga e a sua reação continuou a ser de extrema humildade. «Deram-ma porque a devo ter merecido. No entanto, acho que fiz apenas o meu dever numa altura de extrema dificuldade, com camaradas mortos ou a morrer ao meu lado. Acho que no meu lugar qualquer um teria feito o que eu fiz», acrescentou sem ponta de vaidade.

Manuel dos Santos, indagado por nós, não sabe se na comunidade há outro ex-militar com a Cruz de Guerra.

«Corrido» para Laval

No decorrer do serão também abordámos o presidente do Núcleo, o engenheiro António Santiago. Quisemos saber um pouco como funciona a organização. E o que nos foi dito é que «são precisos mais sócios porque neste momento só temos 48». Que a perceção de alguns ex-militares da comunidade é que «o que é que isso me vai dar...», em alusão ao filiamento.

Ainda pusemos outras questões ao presidente. Como o porquê do Monumento aos Combatentes estar instalado em Laval e não em Montreal, por exemplo, no Parque de Portugal... Apanhado de surpresa, António Santiago quis fugir à pergunta. No entanto, sempre levantou um pouco o véu à questão dizendo que «as entidades municipais do Plateau a isso nos obrigaram. Pura e simplesmente recusaram a nossa proposta/sugestão. Assim não tivemos outra alternativa se não vir para Laval onde fomos superiormente recebidos. Mas isso fica por aqui. Não me quero pronunciar mais sobre este assunto», atalhou o presidente.

Quem não fica por aqui nesta questão é o jornalista que em melhor oportunidade irá questionar as respetivas autoridades de forma a saber, tintim por tintim, o que foi que aconteceu de mal neste processo.

Liderança

O núcleo tem como presidente, como já se disse, António Santiago. O secretário é Luís Damas, enquanto a tesouraria está a cargo de Augusto Costa, sendo vogal Manuel dos Santos, o Homem da Cruz de Guerra.

Francisco Salvador e Raul Mesquita, simples colaboradores, desempenharam papel importante no decorrer do projeto.

Comunidade
O núcleo quebequense da Liga dos Combatentes Portugueses inaugurou sábado passado, no Parque Pedro da Silva, em Laval, um monumento dedicado a todos os Combatentes Portugueses do Quebeque. A cerimónia contou com a presença de muitos antigos soldados, alguns familiares, amigos e convidados, como veremos mais adiante. Presidiram ao ato o presidente do Núcleo Quebequense, o engenheiro António Santiago, e o novo cônsul-geral de Portugal em Montreal, Dr. José Guedes de Sousa.
No Parque Pedro da Silva.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020