logo
rss  Vol. XVIII - Nº 311         Montreal, QC, Canadá - quarta-feira, 26 de Fevereiro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Exposição na Caixa Portuguesa

O potencial económico da Língua portuguesa

Vitália Rodrigues

Reportagem de Vitália Rodrigues

Os Estudos Portugueses e Lusófonos do Departamento de Literaturas e Línguas Modernas da Universidade de Montreal, com o apoio financeiro e logístico da Caixa Desjardins Portuguesa e a organização e promoção do Festival Portugal Internacional de Montreal, apresentaram, pela primeira vez no Canadá, a exposição bilingue «Potencial Económico da Língua Portuguesa/Potentiel économique de la langue portugaise», organizada pelo Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, a partir de um estudo desenvolvido por uma equipa de investigadores do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa –, coordenada pelo professor Luís Reto.

A exposição estará presente ao público no edifício da Caixa Desjardins Portuguesa, em Montreal, até 30 de agosto, e cuja sessão de abertura teve lugar no dia 3 de junho, às 17 horas, na presença do secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Cesário, do Embaixador de Portugal no Canadá, José Fernando Moreira da Cunha, e do Embaixador de Angola no Canadá, Agostinho Tavares da Silva Neto.

Luis AGUILAR DSCN3069.JPG
Da esquerda para a direita, José Fernando Moreira da Cunha, embaixador de Portugal, Juan Carlos Goddenzi, diretor do Departamento de Literaturas e Línguas Modernas (UdeM), e Luís Aguilar, docente do Camões.
Foto Vitália Rodrigues

A Exposição «Potencial Económico da Língua Portuguesa/Potentiel économique de la langue portugaise» contém 17 painéis ilustrados com texto em português e em francês e foi apresentada por Luís Aguilar, responsável pelos Estudos Lusófonos da Universidade de Montreal e docente do Camões, Instituto da Cooperação e da Língua. Destaca-se pela forte componente visual dos cartazes, que permite assim uma mais ampla divulgação deste importante trabalho de pesquisa. Os dados estatísticos mais relevantes são evidenciados com recurso a tabelas, fotografias e outras estratégias de design gráfico. No quadro da missão do Camões IP, esta mostra tem por objetivo reforçar o conhecimento sobre a Língua Portuguesa, e assim contribuir ativamente para a sua valorização e difusão no mundo – pode ler-se no sítio do Camões, IP.

Presidente da Caixa Desjardins Portuguesa

O Presidente da Caixa Desjardins Portuguesa, Emanuel Linhares, proferiu as palavras de boas-vindas, realçando que a realização desta exposição foi feita em parceria, expressou a sua convicção de que a cooperação permite grandes realizações, porque a mesma proporciona o desenvolvimento de sinergias, geradoras de uma força positiva, centrada no humano e, neste contexto, capaz de criar riqueza na economia e na sociedade, tendo apelado a todos que, na qualidade de cooperantes, em conjunto, sejam obreiros de um mundo melhor, através da prática cooperativista quotidiana.

 

Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas

Luis AGUILAR DSCN3075.JPG

José Cesário, secretário de Estado das Comunidades Portuguesas referiu o trajeto desta exposição pelo mundo fora, que teve o seu ponto de partida no Parlamento Europeu, em Bruxelas, no passado dia 18 de fevereiro. Realçou a necessidade de promover iniciativas e encontros que reforcem esse grandioso projeto que é a Lusofonia e, nesse sentido, saudou a presença do embaixador de Angola.

 

Embaixador de Portugal no Canadá

José Fernando Moreira da Cunha, Embaixador de Portugal no Canadá, expressou o seu apreço por iniciativas como estas que têm um valor acrescentado por terem sido levadas a cabo por diferentes instituições/organizações. Realçou a importância de levar ao conhecimento dos que partilham a língua comum, aspetos que são ainda desconhecidos e de a promover aos estrangeiros e, nesse sentido, saudou a presença do diretor do Departamento de Literaturas e Línguas Modernas da Universidade de Montreal, Juan Carlos Goddenzi. Referiu o seu apreço pela exposição, pois que a mesma, para além do valor económico e potencial do Português, apresenta variadas facetas da língua de Camões, viria a salientar, no blogue da embaixada, a excelente intervenção de Luís Aguilar sobre a língua portuguesa.

Embaixador de Angola no Canadá

Agostinho Tavares da Silva Neto, Embaixador de Angola, afirmou a vontade de partilhar este momento de ouro da Língua Portuguesa no espaço da Lusofonia e elogiou o facto da Caixa Desjardins Portuguesa ter colaborado nesta iniciativa e transformado o seu espaço comercial numa sala de cultura, de exposições.

Luís Aguilar, docente do Camões, Instituto da Cooperação e da Língua e professor convidado da Universidade de Montreal

A Luís Aguilar coube apresentar a exposição, contextualizando os dados expostos sobre a língua de Camões, a última flor do Lácio, a doce e agradável língua, a nossa magna língua portuguesa como uma das quatro línguas mundiais a par do inglês, do espanhol e do francês, falado nos cinco continentes com cerca de 250 milhões de locutores e, citando Fernando Pessoa, uma das poucas línguas potencialmente universais no século XXI. Não fossem as Descobertas Portuguesas e não seria falada por mais de 10 milhões, como o Catalão; assim é uma língua sem sono, pois nela se comunica e se tagarela nos quatro cantos do mundo, vinte e quatro sobre vinte e quatro horas. Segundo os dados recolhidos de mais de 500 línguas por Louis-Jean Calvet, no seu sistema gravitacional, o português é uma língua supercentral na galáxia das línguas do mundo.

Reportagem
Os Estudos Portugueses e Lusófonos do Departamento de Literaturas e Línguas Modernas da Universidade de Montreal, com o apoio financeiro e logístico da Caixa Desjardins Portuguesa e a organização e promoção do Festival Portugal Internacional de Montreal, apresentaram, pela primeira vez no Canadá, a exposição bilingue «Potencial Económico da Língua Portuguesa/Potentiel économique de la langue portugaise», organizada pelo Camões, Instituto da Cooperação e da Língua, a partir de um estudo desenvolvido por uma equipa de investigadores do ISCTE – Instituto Universitário de Lisboa –, coordenada pelo professor Luís Reto.
Exposicao na Caixa Portuguesa.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020