logo
rss  Vol. XVIII - Nº 307         Montreal, QC, Canadá - terça-feira, 26 de Maio de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Na Associação Portuguesa do Espírito Santo de Hochelaga

FADALISTAS NO CORAÇÃO E NA MEMÓRIA DO POVO

Adelaide Vilela

Por Adelaide Vilela – texto e fotos

Quando se tem uma voz que encanta o coração e fica na memória não é nada difícil caminhar rumo ao sucesso, ou então, observamos e vemos abrir rapidamente janelas por onde alguns artistas (no campo das cantigas) rasgam muitos e belos horizontes para conquistarem o mundo em três tempos. Naturalmente levo até aos nossos leitores Jesus nas minhas palavras, já que os artistas, aos quais fazemos referência, são da Ilha Terceira, apenas um deles é «nosso irmão» brasileiro. Os Fadalistas são artistas de grande craveira, com uma generosa experiência no canto e em música clássica e noutros estilos. Eles e elas já participaram nos famosos carnavais, bailinhos e desfiles na Ilha de Jesus, a terceira a ser descoberta no século XV, na época da Expansão Marítima Portuguesa.

O Percurso dos Fadalistas reúne interessados desde o ano 2012, ano do seu aparecimento. Desde logo a sorte sorriu-lhes, talvez pelo tipo de música que escolheram e pela maneira como se dão em espetáculo. São três estrelinhas que brilham do princípio ao fim da noite. Tanto em Portugal como nos Estados Unidos e Canadá, na difícil arte de cantar, segundo Leandra, a cantora com quem tivemos o privilégio de conversar, a primeira influência é positiva: «Nós sentimo-nos tão felizes por cantar para este povo tão simpático e acolhedor que vamos embora com um nó na garganta e a vontade de regressar». Eles, os músicos são bons e grandes profissionais, elas são genuínas tal como o fado que modernizaram ou adaptaram para que brilhe mais com os contornos das suas vozes de ouro. Pelo que nos foi dado observar, em breve terão muitos mais caminhos para cruzar, outros mares a navegar outros imaginários; outras culturas, com outras referências sociais e culturais e para tanto, aí está o empresário que os trouxe a Toronto, o Sr. Paulo Borba (Produções Musicais), pronto a acompanhar os Fadalistas para quaisquer das 5 partidas do mundo, onde o amor musical os queira.

Fadalistas 1.JPG
Os Fadalistas, da ilha Terceira, um grupo de classe pura!

Durante a alocução do Sr. Álvaro Godinho, enquanto apresentava os Fadalistas como grupo, em silêncio, a conversa, ia ficando gravada (na algibeira), para que nada falhasse. Prestamos atenção e gostamos muito. Para já ficam a ser nossos favoritos. Fada-Lista-s: sim, claro, as fadas, os Fadalistas ficam na minha lista. Agora é que brigo com quem vier e quiser dizer que o Fado é de Lisboa. O Fado é património de Portugal, certo: de Lisboa, do Bairro alto, da Madragoa! O Fado foi de Maria Severa e hoje é de quem o canta, é tão belo como estas três lindas mulheres: Sara, Leandra e Filipa! Elas, as três artistas, longe das luzes e dos palcos da certeiríssima Ilha tiveram a tenacidade de mostrar, com sentido e emoção, que a figura de Amália Rodrigues, a rainha do fado (1920-1999), continua viva no nosso imaginário. Assim sendo, cantaram alguns poemas do grupo mas a maior parte são sucessos de Amália Rodrigues e dos nossos poetas portugueses.

Apesar de notarmos cansaço nos olhos do nosso amigo Joe Puga, vimo-lo feliz naquele dia. Partilhando a mesma paixão pela música, foi ele quem descobriu os Fadalistas e lhes tratou da viagem para Montreal, sempre preocupado com o bem-estar do grupo, durante as 24 horas que passaram nesta nossa cidade francófona.

Fadalistas 2.JPG

O lugar de presidente do Festival foi entregue ao Joe Puga, o qual, pela sua experiência, desempenha muito bem o seu lugar. A notar que este é o primeiro dos eventos que enaltece a língua de Camões e os nossos valores pátrios, já incluído no Festival Português, que se vai realizar de 6 a 10 de junho. Naturalmente, o Sr. Alberto Feio e a Conceição Ferreira também fazem parte do corpo diretivo do Festival Portugal Internacional de Montreal, razão pela qual o espetáculo foi filmado, sem interrupção, com o entusiasmo e o profissionalismo que todos lhes conhecemos. A Lina Pereira, depois de ter cantado os parabéns à mamã, também veio cumprimentar os Fadalistas. Ficou-lhe muitíssimo bem visto ser a vice-presidente deste grande acontecimento, realizado pela primeira vez em Montreal.

Os convivas, na Associação do DES de Hochelaga, depois de deliciados com os manjares que ia servindo a direção de Hochelaga escutavam com atenção: notava-se um carinho peculiar e belo nos presentes! Os artistas souberam passar o testemunho e não deixaram de nos interpelar, num apelo afetuoso, lindo e autêntico. As meninas cantam, como se tivessem atravessado a ponte entre o passado e o presente, o fado tradicional trazido para outros tempos. O Fado antigo, o genuíno, é sempre cultural quando leva a marca do coração e o relevo de quem o canta e sabe valorizar o cunho da autenticidade. Assim, importa dizer que a história dos Fadalistas nos levou a um mundo maravilhoso de um sonho na canção, aqui do lado de cá de Portugal; aqui onde tão bem pulsa o coração português porque ama.

Os nossos parabéns ao grupo, OS FADALISTAS e boa viagem de regresso.

Para concluir, espetáculos, exposições de arte e poesia, distintos trabalhos, em consonância com o FESTIVAL PORTUGAL começam já a proporcionar momentos de alegria, de orgulho e de distração para a comunidade portuguesa de Montreal e arredores. Estão na lista muitas surpresas nesta primavera até que junho 6 aproxime a sua multidão, e com visão todos gritem: VIVA PORTUGAL EM MONTREAL.

«Os fins justificam os meios». E não há meias medidas, se quiser pontuar com a nossa razão, vá connosco no dia 25 de abril ao restaurante DOM HENRIQUE – Centro de Arte e Eventos – para muitas gerações, como o seu nome o indica. Vai haver muitas formas para de lá sair feliz! Para além de festejar o dia da Liberdade, sugere-se que leve boa disposição, pois vai ouvir cantar o Fado por excelência na voz de: Cathy Pimentel, Cláudia Madeira (de Portugal) e Susi Silva.

Reportagem
FADALISTAS NO CORAÇÃO E NA MEMÓRIA DO POVO
Na Associacao Portuguesa de Hochelaga.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020