logo
rss  Vol. XVIII - Nº 306         Montreal, QC, Canadá - terça-feira, 31 de Março de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Impacto de Montreal

Quatro jogos depois, um ponto!

Norberto Aguiar

Por Norberto Aguiar

Depois de ter iniciado o Campeonato da Major League Soccer fora de portas, com dois jogos no Texas, diante do Dallas FC e do Dynamo de Houston, respetivamente, onde averbou duas derrotas, o Impacto estreou-se no Estádio Olímpico, no primeiro jogo em casa, embora fosse casa emprestada, com mais uma derrota, agora aos pés do Sounders de Seattle, pela marca de 2-0.

Num jogo onde não foi inferior ao seu antagonista, o Impacto, mesmo assim, voltou a perder. Mas tudo fez para que isso não acontecesse, ao ponto de, principalmente no fim do jogo, ter pressionado o Sounders de forma vigorosa e que só não resultou em golos por nítida falta de sorte e boa exibição do guardião suíço contrário, no ano passado suplente no Toronto FC.

Djalo images.jpg
Yannik Djaló com sua nova camisola

O desafio com os homens do Oeste americano começou muito mal para o Impacto. Um livre contra a formação azul e preta de Montreal, que se pensou não resultasse em nada, eis que uma cabeçada quase fortuita, da autoria de um ex-jogador do Impacto (Lamar Neagle), bate num dos postos e, na ressaca, toca nas costas de Parkins e entra na baliza. Era o primeiro golo do encontro e logo contra a equipa da casa, tão necessitada de marcar golos perante os seus apaniguados...

Apoiada por mais de 27 mil espetadores, os montrealenses não perderam a esperança e continuaram a bater-se pelo jogo e pelo resultado. Estava-se nisso quando, já em plena segunda parte, o Sounders chegou-se à frente e em mais uma jogada bem urdida fez o segundo golo, que viria a ser decisivo na marcha do marcador.

O segundo golo do time de Seattle fez mossa e o Impacto fraquejou, sobretudo no aspeto moral... Porém, a entrada do internacional americano Heath Pearce, do uruguaio Santiago Gonzalez e, sobretudo do também americano Blake Smith, deu novo alento ao grupo de Montreal, que se lançou na procura do golo que poderia modificar o desfecho da partida. E as oportunidades surgiram, não para um, mas para mais golos... No entanto, a sorte não quis acompanhar o esforço dos jogadores do Impacto que tudo deram para que não saíssem derrotados do confronto com os verdes americanos.

Impacto image1.jpg

É verdade que foi mais uma derrota. Para mais diante dos seus adeptos, o que nunca é bom para uma equipa, agravada pelo facto de vir de duas derrotas seguidas... Mas a exibição foi boa, deixando a impressão que num futuro breve o Impacto vai passar a ganhar jogos com alguma regularidade. Pior era se estivesse a perder e a jogar mal... Aí, todos se iam questionar, o que não é nada bom, sobretudo quando se tem um treinador novo...

União de Filadélfia – Impacto, 1-1

O quarto jogo foi disputado sábado passado, em Filadélfia, USA. E o resultado, embora não tenha sido ainda a vitória tão esperada, acabou por ser um empate (1-1) com sabor a vitória, isto na medida em que o Impacto, a perder por 1-0 a dado momento da partida, arrancou nos últimos minutos um saboroso empate, excelentemente obtido, mercê da classe de Marco Di Vaio, que depois de três jogos de suspensão, resultado ainda da época passada, obteve um golo de belo efeito.

Também em Filadélfia o Impacto voltou a demonstrar que tem equipa para se bater na liga. Com mais um ou outro «remendo», diremos mesmo que os montrealenses poderão sonhar com as eliminatórias de fim de ano, como aconteceu em 2013. Para isso também é preciso que Marco Di Vaio, ausente nos primeiros três embates, continue com a veia goleadora da época passada, quando marcou 20 golos, quase lhe dando o lugar de líder dos marcadores. Mas começa bem, o veterano italiano: um jogo, um golo.

Quanto ao resto, diremos que o Impacto voltou a fazer um bom jogo, mesmo se atuando fora do seu ambiente.

Como curiosidade neste desafio foi o facto de o Filadélfia ter nas suas fileiras um luso-descendente, oriundo de França, de seu nome Vincent Nogueira, que para além de ter feito uma excelente partida foi ele o autor do golo da sua equipa. Vincent Nogueira veio do Sochaux, da Primeira Divisão francesa.

Os próximos jogos do Impacto são ambos no Estádio Olímpico, nos dias 5 e 12 de abril, tendo como adversários o Red Bull Nova Iorque e o Fogo de Chicago. Ambos os encontros se disputam às 16h00.

Djaló estreou-se

Yannick Djaló, como dissemos na nossa edição anterior, assinou contrato com o San Jose Earthquakes. A sua estreia deu-se no fim de semana passado, quando a sua equipa defrontou, em San Jose, o Nova Revolução de Massachusetts. Djaló actuou durante 10 minutos. A sua equipa acabou por perder o jogo por 2-1, o que acabou por ser uma surpresa.

Já José Gonçalves, titular os 90 minutos no eixo da defesa do clube da Nova Inglaterra, saiu da Califórnia radiante com os três pontos conquistados num campo difícil.

Se José Gonçalves está de pedra e cal no onze do Nova Revolução, já Djaló tem muito que trabalhar se quiser assegurar um lugar de titular na frente de ataque do San Jose, bem servido como está com os americanos Alan Gordon, Adam Jahn, Steve Lenhart e Chris Wondolowski.

Desporto
Depois de ter iniciado o Campeonato da Major League Soccer fora de portas, com dois jogos no Texas, diante do Dallas FC e do Dynamo de Houston, respetivamente, onde averbou duas derrotas, o Impacto estreou-se no Estádio Olímpico, no primeiro jogo em casa, embora fosse casa emprestada, com mais uma derrota, agora aos pés do Sounders de Seattle, pela marca de 2-0.
Impacto de Montreal.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020