logo
rss  Vol. XVIII - Nº 305         Montreal, QC, Canadá - quinta-feira, 02 de Abril de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Festa do Radio Centre-Ville

Vitória Faria

Por Vitória Faria

No sábado dia 8 de março, com uma sala muito animada pela presença de 300 pessoas, teve lugar no salão de festas da Igreja Santa Cruz o jantar-benefício do Radio Centre-Ville. A organização esteve a cargo da equipa portuguesa, que não se poupou a esforços, usando todos os meios de comunicação ao seu dispor para difusão deste importante evento (rádio, jornais, mails, Facebook e... telefone).

Por coincidência (ou teria sido de propósito) era o chamado Dia da Mulher e isso deu azo a uma vibrante homenagem a todas as mulheres por Luís Melo, que foi o apresentador e animador do serão, com a entoação de uma canção que todas cantaram de pé. Para informação dos leitores que o desconheçam, ele é um antigo colaborador do Radio Centre-Ville, onde durante cerca de vinte anos assegurou a emissão do domingo, e hoje é proprietário com Mário Marinho do DJ Entre Nós.

Cathy Pimentel.jpg
Cathy Pimentel, o ponto alto da festa da Radio Centre-Ville.
Foto  - LusoPresse

As boas-vindas foram dadas por Clementina Santos, que agradeceu a todos os presentes a maneira como responderam ao convite, não se poupando a esforços para, por sua vez, convidarem os amigos a participarem nesta angariação de fundos para que o Radio Centre-Ville, que conta já 37 anos de existência, possa continuar a ir para o ar e a divulgar a boa música portuguesa. Uma das missões que a estação se deu é, exatamente, a promoção dos novos artistas.

Como prova desses novos valores na comunidade, foi altura de apresentar à sala Cathy Pimentel e o Grupo FadoMundo. A fadista acaba de lançar o seu primeiro CD, que se intitula «Horizon/te» e que é composto de canções originais da sua autoria e de fados de outros cantores, nomeadamente Amália Rodrigues.

Quanto ao Grupo FadoMundo, este é composto de Samuel Pereira – viola baixo, Luís Costa – viola, Nilton Rebelo – guitarra portuguesa e Philippe Mius d´Entremont – violoncelo. Cathy Pimentel também se pode acompanhar ao piano.

E Cathy cantou vários fados, alguns originais e outros bem conhecidos. A sua bela voz, potente e doce, encheu o salão e obrigou ao silêncio mesmo os mais faladores dos presentes. Da sua longa prestação ficou-nos uma muito agradável impressão que, mais tarde, a escuta do seu disco veio ainda aumentar. Mas, para além de tudo, o que mais nos impressionou, por ser inusitado, foi quando Cathy cantou, se fazendo acompanhar apenas pelo violoncelo. Muito bom!

O seu CD vai estar à venda a partir de 25 de março no iTunes.

Proximamente, eles irão representar Portugal em fado, no Clube Ballatou, no dia 29 de abril às 21h00. São o primeiro conjunto a representar o nosso país em 40 anos! Parece ainda haver bilhetes disponíveis.

Cathy Pimentel Musicos.jpg

Entretanto, enquanto era servido o prato principal, foi a vez da atuação do bem conhecido Rancho Folclórico Português de Montreal de Santa Cruz, que é o grupo mais antigo do Quebeque, um dos mais antigos do país, e o mais antigo em atividade, além de ser notável por ter três gerações de participantes. Começou por representar a região do Minho com várias danças bastante diversas umas das outras. Mais tarde voltaria, desta vez com danças da Nazaré, estas completamente diferentes das da primeira atuação. Como se trata duma cidade de pescadores, a maioria são dançadas descalças pois nasceram na praia. A assistência foi convidada a participar, e mesmo uma jovem de origem asiática e não portuguesa da nossa mesa, foi dar o seu pé de dança.

O jantar foi confecionado pelo Restaurante Casa Minhota, que nos serviu uma refeição da excelente qualidade a que estamos acostumados, e foi servido pelo grupo de jovens da equipa do restaurante.

O diretor do Radio Centre-Ville, M. Marc de Roussan, veio dirigir umas palavras à assistência. Como em diversas ocasiões, o discurso foi feito em francês, pois havia muitos quebequenses (de souche) presentes na sala e todos os portugueses de origem bem compreendiam o que era dito. Seguiu-se a apresentação da equipa portuguesa do Radio Centre-Ville, uma estação que emite no comprimento de onda 102,3 FM, em sete línguas (francês, inglês, português, espanhol, grego, crioulo, chinês – mandarim e cantonês). O Conselho de Administração é composto de sete membros e o presidente atual é Ricardo Costa.

A emissão portuguesa é apresentada de domingo a sexta-feira: domingo das 16 às 19h e de segunda a sexta das 17h30 às 19h00. Após que cada um se nomeou, falaram em seguida das suas prestações.

Cathy Pimentel em cena.jpg

Ao domingo o título da emissão é «Domingo à tarde» e o animador e técnico é Amílcar Gomes. Segunda e quarta é a emissão «Notas de lá e de cá», animadora e na técnica temos Clementina Santos. À segunda passa ainda a rubrica  «Pelo mundo fora», da responsabilidade de Ricardo Costa, onde em cada semana se descobre um país, uma música e uma língua diferentes. Temos também nesse dia a colaboração e a programação semanal da LusaQ.TV. Terça-feira é a vez de «Não há gente como a gente», animada por Fátima Miguel e com Jorge Matos na técnica. À quinta-feira temos «Música para o jantar» com o animador e na técnica António Salvador. Finalmente, na sexta-feira, é «Sexta Brasil», da responsabilidade de Hamilton Cidade. A estação tenta apresentar o maior número possível de convidados em estúdio, e na semana seguinte seria a vez de Paula Vasconcelos, que falava da sua nova criação «Arquitetura da Paz», um belo espetáculo de teatro-dança.

No final, houve um veemente apelo a voluntários para participarem nas emissões que são, no fundo, uma bem agradável «conversa» com os ouvintes, que só aspiram a escutar a nossa língua e a nossa música. Tão simples como isso, segundo Clementina Santos, que não deixou de frisar que, mesmo se por vezes não se sente no seu melhor, está fatigada, ou outra coisa, quando entra em estúdio, tudo isso acabou e ficou do outro lado da porta. Se ela o diz é porque é assim mesmo!

Houve então uma atuação surpresa, uma visita do carnaval brasileiro, com duas belas dançarinas de «Viva Rio Samba», que vieram dançá-lo com uma energia e um ritmo endiabrados. Se no nosso imaginário esta é uma dança de gente colorida, ver uma esbelta loira dançar com o mesmo ritmo da colega bem morena (uma escurinha, segundo o dizer de Jorge Amado) foi uma surpresa. Mais uma vez houve público participante, mesmo se as dançarinas nunca abrandaram o seu ritmo infernal.

Havia um outro cantor previsto para atuar na festa e que se apresentou para nos pedir desculpa de não poder fazê-lo visto ter uma extinção de voz. Trata-se de Carlos Veiga, um outro português revelado recentemente à comunidade pelo Radio Centre-Ville, embora ele tenha já uma longa carreira musical. Além do CD «Paroles», lançado no outono passado, à venda nas casas de discos e também no iTunes, Carlos Veiga é desde há muito um artista habitual do «Bistro à Jojo».

Foi então altura de começar o baile com bela música portuguesa e a pista depressa se encheu com os que esperavam ansiosamente por esse momento.

Como entretanto tinha também chegado a hora do café, foi aberta a mesa das sobremesas, confecionadas por muitas das mulheres presentes na sala e que responderam ao apelo da Tina que, por seu lado, nos presenteou com alguns dos seus doces que têm fama e proveito de serem delícias a que ninguém pode resistir. Posso prová-lo!

Foi uma bela festa, com um espetáculo variado, para melhor dar a conhecer à comunidade o único rádio na nossa língua, o qual merece todo o nosso apoio e colaboração, não só pelo grande trabalho que realizou ao longo de tantos anos, mas para que possa continuar a divulgar, nesta língua sempre tão doce aos nossos ouvidos, os acontecimentos, os espetáculos, os novos cantores, a nossa música, e todas as atualidades que são o domínio por excelência de uma estação de rádio.

Reportagem
No sábado dia 8 de março, com uma sala muito animada pela presença de 300 pessoas, teve lugar no salão de festas da Igreja Santa Cruz o jantar-benefício do Radio Centre-Ville. A organização esteve a cargo da equipa portuguesa, que não se poupou a esforços, usando todos os meios de comunicação ao seu dispor para difusão deste importante evento (rádio, jornais, mails, Facebook e... telefone).
Festa do Radio Centre.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020