logo
rss  Vol. XVIII - Nº 301         Montreal, QC, Canadá - segunda-feira, 24 de Fevereiro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

«Tempos por temos»

Aqui, no jornal, todos se esmeram por fazer um trabalho sério, com muito respeito pelo público leitor. E como é assim, nada de plágio, nem em textos, nem em frases feitas, como se vê amiúde... Nem tão pouco publicidade enganosa, onde o lucro é mais importante que tudo o resto e que vagueia aos montes pela comunidade...

Outra preocupação tem a ver com o Português escrito, que queremos o mais escorreito possível e sem erros. No entanto, há que dar, neste domínio, a mão à palmatória e concordar que não somos infalíveis. E de vez em quando, lá sai um erro, por engano, sim, mas sobretudo por descuido. Como na palavra «Temos», que durante uma ou duas semanas saiu num anúncio como «Tempos», que é uma palavra bem portuguesa mas que estava fora do contexto... No texto do anúncio, portanto, saiu «Tempos os melhores...», quando a frase devia ser «Temos os melhores...».

Leitor atento, enviou-nos o recorte do jornal pedindo que retificássemos o erro. Que foi feito imediatamente!

O interessante da questão é que o nosso atento e sábio leitor deve conhecer os «cantos à casa» do LusoPresse e daí estranharmos que ele não se tivesse dado ao cuidado de nos contactar pessoalmente. De toda a forma, um obrigado sincero por esta chamada de atenção, que veio, temos de admitir, muito a propósito.

NA

Vária
Aqui, no jornal, todos se esmeram por fazer um trabalho sério, com muito respeito pelo público leitor. E como é assim, nada de plágio, nem em textos, nem em frases feitas, como se vê amiúde... Nem tão pouco publicidade enganosa, onde o lucro é mais importante que tudo o resto e que vagueia aos montes pela comunidade...
Tempos por temos.doc
no
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020