logo
rss  Vol. XVII - Nº 300         Montreal, QC, Canadá - terça-feira, 02 de Junho de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Café com Letras...

E lançamento do Livro Memórias, a primeira antologia de escritos Luso-Canadianos

Raquel Cunha

Por Raquel Cunha

Decorreu no sábado passado, no simpático Paolo´s Café, mais uma edição de Café com Letras, uma organização que pretende a partilha do gosto pela literatura lusófona, em qualquer língua. Organizado por Richard Simas e Niza Rogério, este serão compõe já o que de melhor se faz em Montreal, para salvaguardar a língua literária lusófona.

Esta é já a quarta edição (terceira com o nome oficial), e juntou ao evento o lançamento do livro «Memória: An Anthology of Portuguese Canadian Writers», das edições Fidalgo. Esta coletânea conta com diversos estilos literários, e é já um marco, por ser a primeira coletânea de escritores Luso-Canadianos e por dar voz a mais que uma geração migrante, fruto de décadas de diáspora.

Richard Simas, organizador do evento, e terceira geração luso-americana (o seu avó era oriundo dos açores), vê o seu interesse pela lusofonia como resultado da diáspora, do corte com a cultura natal, como parte de um imaginário e pela procura identitária: «Chega-se a um ponto e pergunta-se quem somos, de onde vimos, e nesse sentido, nasceu o meu interesse pela cultura lusófona, não só pela portuguesa, mas por todo o mundo da lusofonia, dono dessa sonoridade, essa alma intraduzível do ser lusitano. Queremos partilhar aqui o gosto pela leitura lusófona em qualquer língua, e tivemos mesmo um chinês, a ler em mandarim, versos de Camões! Isso, para mim, é a partilha de algo que vai além da língua».

cafe letras 1HAITIANA 010.JPG

Niza Rogério concorda e partilha o mesmo gosto pela cultura que se espalha além-mar: «O que existe de mais expressivo do que a arte de contar o que vai na alma, por conto, poesia, ou prosa? É uma partilha de espaço, momentos e sentimentos, e nós aqui nos juntamos à volta de um porto e doces, para saborear esse sentido de pertença».

É nessa atmosfera, num fim de tarde dos mais frios do ano, que nos acolhemos numa sala, onde não por acaso se pode ler Café Lisboa. As idades dos participantes variam, e fico contente de ver bastantes jovens, de diversas origens, juntos, num café que relembra Lisboa em Montreal. Caras conhecidas da Comunidade marcaram presença, entre as quais, o Sr. Francisco Salvador, Joaquina Pires, Laureano Soares, Marques da Silva e Norberto Aguiar. As leituras foram feitas em várias línguas, de obras de diversas origens e por leitores variados. Viveu-se uma atmosfera saudável de saudade, de apreciação pelas palavras e pela transparência universal da sonoridade. A primeira parte do encontro terminou com um Conto de Natal de Vinicius de Morais, a ser lido em coro, num «coral de babel», como apelidou Richard Simas, impulsionador dessa leitura. Leu-se assim, o mesmo conto, em português, em francês e em inglês, com a participação de todos os presentes.

Uma Coletânea de Memórias

cafe letras ADELAIDE 005.JPG

A segunda parte do encontro foi dedicada ao lançamento do livro, «Memória: An Anthology of Portuguese Canadian Writers», das edições Fidalgo, cuja organização, recolha e edição foi feita por Fernanda Viveiros, editora luso-canadiana, sediada na Colômbia Britânica, que tem como missão dar voz aos escritores portugueses do Canadá.

Esta coletânea inclui poemas, contos e prosa, de vários estilos e por escritores de várias províncias. Conta com uma excelente qualidade, quer a nível de estilos literários, quer do conteúdo. Fala de reminiscências migratórias, do viver numa terra distante, de identidade e de solidão. Um livro obrigatório pela sua diversidade, autenticidade e também por ser o primeiro, a permitir a fala de uma etnia muito silenciosa.

Este lançamento em Montreal contou com a presença dos escritores que participam no livro e estão aqui sediados: são eles, Laureano Soares, Richard Simas e Paul Serralheiro. A apresentação esteve por conta de Hugh Hazelton, codiretor do Banff International Translation Center e professor do departamento de Estudos hispânicos da Universidade Concordia, que traduziu alguns dos escritos do livro e para quem «Memória é poderoso e eloquente. Fala sobre a experiência portuguesa no Canadá, atravessa diversas gerações, os seus conflitos e luta por uma identidade. Contém escritos de humor e de perda, de amor e de desejos conflituosos, mas principalmente aborda aquele estado de espírito intraduzível e tão belo, chamado saudade».

O LusoPresse recomenda vivamente a leitura do livro por todos aqueles que procuram saber o que se faz na literatura luso-canadiana, por quem quer ouvir a voz da sua identidade e procura partilhar da sua essência. Um livro que vale a pena, que se quer o primeiro de muitos, e que deve marcar presença em todas as casas lusitanas, e não só.

Literatura
Decorreu no sábado passado, no simpático Paolo´s Café, mais uma edição de Café com Letras, uma organização que pretende a partilha do gosto pela literatura lusófona, em qualquer língua. Organizado por Richard Simas e Niza Rogério, este serão compõe já o que de melhor se faz em Montreal, para salvaguardar a língua literária lusófona.
Cafe com Letras e nao so.doc
no
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020