logo
rss  Vol. XVII - Nº 296         Montreal, QC, Canadá - quinta-feira, 27 de Fevereiro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Encontro no Centro Comunitário de Laval

Candidatos motivados

Norberto Aguiar

Reportagem de Norberto Aguiar

No domingo, dia 6 de outubro, pela tardinha, o Centro Comunitário de Laval recebeu a visita de uma centena de pessoas para assistir à apresentação dos candidatos portugueses independentes às eleições à Câmara Municipal de Laval, a ter lugar no próximo dia 3 de novembro.

Manuel Botelho e Noémia Onofre de Lima são os dois candidatos a vereadores, embora como independentes, pelos bairros St-Martin e Ste-Dorothée, duas aglomerações vizinhas e só divididas pela autoestrada 13, no oeste da cidade.

Botelho Noemia DSC_0498.JPG
Noémia de Lima, em Sainte-Dorothée, e Manuel Botelho, em Saint-Martin, prontos para a batalha do dia 3 de novembro. Na foto em baixo, Jacques Foucher, candidato independente.
Foto  - LusoPresse

Por serem de origem portuguesa, amigos, vizinhos de bairro e por serem igualmente candidatos a vereadores independentes, Manuel Botelho e Noémia de Lima decidiram unir esforços e trabalhar em união. «Os recursos não são muitos. Por isso, decidimos trabalhar em conjunto. Vamos partilhar os mesmos meios, os mesmos colaboradores», dir-nos-ia Manuel Botelho, um político municipal de experiência, apesar de nunca ter sido eleito. «Mas nas últimas eleições obtive uma percentagem de cerca de 42% de votos e isto perante uma máquina eleitoral importantíssima como era a do antigo «maire» Gilles Vaillancourt», enfatizaria.

A sessão, que ainda contou com um terceiro candidato, mas esse à testa da câmara, de seu nome Jacques Foucher, desenrolou-se durante cerca de duas horas, com os três candidatos a terem de se exprimir perante a plateia, dando conta do que os levou a decidirem concorrer ao ato eleitoral de novembro próximo. Antes, porém, encarregaram-se de apresentar a carreira pessoal de cada candidato Manuela Delbiondo e Raul Mesquita. O encontro político, nada habitual entre as gentes portuguesas, terminou com um coquetel.

A primeira a intervir foi Noémia de Lima, que falou da sua experiência pessoal e do seu já largo currículo político, iniciado em 2007, quando concorreu às eleições provinciais, já como independente, e continuou em 2009, então nas hostes do Parti au service des citoyens. Integridade, transparência e trabalho em equipa, foram as palavras que Noémia de Lima mais soletrou para demonstrar que as pessoas podem confiar nela.

Botelho Noemia FOUCHER DSC_0488.JPG

Manuel Botelho, por sua vez, valorizou a sua implicação no seio da comunidade, e não só, de forma a dar a perceber que está perfeitamente à altura do cargo para o qual postula. Seguro do seu percurso, Manuel Botelho, apesar de tudo, não confia demasiado no brilharete de 2009, ao alegar que «... as condições são outras, onde a abertura é mais variada, daí que possa aparecer alguma surpresa», diz cauteloso. Do que Manuel Botelho não abdica é de exigir mais e melhor para os seus concidadãos quando diz que «Trabalharei para criar um centro para os nossos idosos, que muita falta faz. Quero redução de velocidade nas ruas, melhor sinalização, passeios mais limpos a tempo e horas no inverno, mais espaços verdes e alargamento do boulevard St-Martin». E logo acrescentaria que «Estou aqui para pedir o apoio à minha comunidade. Acho que este é o timing ideal para isso», diria o homem que já fez parte, nomeadamente, do Conselho Canadiano do Multiculturalismo.

Jacques Foucher, que nada tem de lusitano, também falou para a plateia por via da sua condição de independente e que por isso mesmo, achou por bem se juntar a Manuel Botelho e Noémia de Lima, ao dizer que «assim economizamos nas despesas».

Desenvolto, o advogado e notário com vastos conhecimentos no âmbito municipal, não fosse ele secretário-geral da Câmara Municipal de Joliette, avançou que tem uma visão para Laval, a começar por uma maior aproximação com os munícipes. Depois, já como conclusão da sua fluente intervenção, adiantou três dos pontos que quer implementar nos Paços de Concelho da cidade de Laval e que sucintamente se referem à paz que quer estabelecer no município depois de toda a desorganização que houve e ainda há, sobretudo garantindo condições normais a todos os funcionários; operar uma consulta séria do que foram os últimos 20/30 anos de vida da Câmara; e estabelecer e consolidar uma comunicação eficaz entre todos os departamentos camarários.

Antes e depois das intervenções políticas, tivemos oportunidade de trocar impressões com os nossos dois candidatos. E se Manuel Botelho explanou todo o seu manancial de realizações, no caso de ser eleito, já Noémia de Lima foi mais comedida. É assim que Manuel Botelho, para além do que acima fica dito, nos informou que conta criar um Comité de portugueses para trabalhar no recenseamento dos nossos compatriotas que vivem na cidade onde ele vive há 56 anos. «Servirá para isso e para outras coisas», confirmou-nos. Noémia de Lima haveria de nos dizer que «no essencial estou de acordo com as propostas de Manuel Botelho».

Em jeito de rodapé, saliente-se que o padre Carlos Dias, presente na sessão, apoia os dois candidatos portugueses. Guy Ouellet, deputado liberal provincial, também se dignou a passar pela sessão política de apresentação de Manuel Botelho, Noémia de Lima e Jacques Foucher.

Eleições Municipais
No domingo, dia 6 de outubro, pela tardinha, o Centro Comunitário de Laval recebeu a visita de uma centena de pessoas para assistir à apresentação dos candidatos portugueses independentes às eleições à Câmara Municipal de Laval, a ter lugar no próximo dia 3 de novembro.
No Centro Comunitario de Laval.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020