logo
rss  Vol. XVII - Nº 295         Montreal, QC, Canadá - quinta-feira, 28 de Maio de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

No desenvolvimento dos Açores

BESA um «parceiro importante»

 

O Presidente do Governo dos Açores considerou que o Banco Espírito Santo dos Açores, à semelhança de outras instituições bancárias, como um «parceiro importante» no processo de desenvolvimento que o Executivo Regional está a promover no arquipélago.

«Pela sua ação, o Banco Espírito Santo dos Açores é considerado como um parceiro importante, como instituição bancária de referência que é, nesta tarefa de desenvolvimento e de progresso que o Governo está a imprimir na Região», afirmou Vasco Cordeiro, após ter recebido o Presidente do Conselho de Administração do Banco Espírito Santo, Ricardo Espírito Santo Salgado.

Banco Espirito Santo ACORES VASCO Cordeiro1469.jpg
Vasco Cordeiro na receção aos dirigentes do Banco Espírito Santo, Ricardo Salgado e Gualter Furtado.

Segundo o Presidente do Governo, o facto de o BESA, à semelhança de outras instituições bancárias, reconhecer e criar medidas destinadas ao setor agrícola, ao nível da concessão de crédito, é motivo de satisfação para o Governo, no que proporciona de fortalecimento desta fileira e do seu contributo para a riqueza da Região.

Após o encontro, que decorreu em Ponta Delgada, Vasco Cordeiro salientou, por outro lado, que o nível de investimento público mantido nos últimos anos na Região constitui um bom sinal de confiança que tem sido transmitido à economia privada.

«Do ponto de vista da situação das nossas finanças públicas, diferenciamo-nos, pela positiva, de outras partes do país. O facto é que, ao longo destes anos de maior turbulência, os Açores têm conseguido manter um nível de investimento público na mesma ordem de grandeza do que o verificado antes», adiantou.

Segundo disse, trata-se, assim, de um «importante sinal que se transmite à iniciativa privada e a um conjunto de entidades que são alavancas poderosas para o desenvolvimento da economia, como as instituições bancárias, quanto ao comprometimento e à capacidade que a Região tem para continuar com estas tarefas de investimento».

O Presidente do Executivo Açoriano realçou ainda que esta opção do Governo de manter os níveis de investimento permite «criar pontes e parcerias que podem, mutuamente, valorizar o trabalho de cada uma das partes e potenciar os seus efeitos».

Vasco Cordeiro recordou também que a Região vai dispor, em breve, de novos fundos comunitários e que o Governo dos Açores conta com as entidades bancárias, com os empresários e com trabalhadores para, aproveitando estes fundos, levar os «Açores a um patamar de maior desenvolvimento e de criação de emprego e de riqueza».

«Todos os que connosco colaboram e que se predispõem a este esforço e a esta tarefa são muito bem-vindos e são considerados parceiros importantes», concluiu Vasco Cordeiro.

Açores
O Presidente do Governo dos Açores considerou que o Banco Espírito Santo dos Açores, à semelhança de outras instituições bancárias, como um «parceiro importante» no processo de desenvolvimento que o Executivo Regional está a promover no arquipélago.
Banco Espirito Santo dos Acores VASCO CORDEIRO.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020