logo
rss  Vol. XVII - Nº 294         Montreal, QC, Canadá - quinta-feira, 22 de Agosto de 2019
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Partido Liberal...

Na mira da UPAC

LusoPresse – De acordo com os serviços noticiosos da Radio-Canada, a Unidade Permanente contra a Corrupção (UPAC), fez uma visita à sede do Partido Liberal do Quebeque em Montreal, com o objetivo de encontrar documentos secretos sobre o financiamento dos partidos políticos.

A pesquisa, que foi rodeada do maior sigilo, teve lugar no mês de julho, quando todos os olhares estavam voltados para a tragédia do Lac-Mégantic, destruída pela explosão dum comboio carregado de vagões de petróleo.

Ao contrário do que aconteceu com os serviços camarários de Montreal, no inverno passado, a UPAC tinha dado um grande show com um grande número de investigadores e de polícias, o PLQ parece ter sido poupado aos olhares do público. Por este facto os serviços contenciosos da Radio-Canada decidiram apresentar um quesito no Tribunal Superior do Quebeque para determinar os motivos que levaram os oficiais da UPAC a investigar sobre os Liberais.

O Partido Liberal, pela voz da sua diretora-geral, Marie-Ève Ringuette, confirmou que esta pesquisa tinha tido lugar efetivamente. De acordo com um comunicado de imprensa emitido na segunda-feira à noite, o PLQ afirma que os funcionários presentes ofereceram a sua total cooperação aos investigadores da UPAC.

Política Quebequense
LusoPresse – De acordo com os serviços noticiosos da Radio-Canada, a Unidade Permanente contra a Corrupção (UPAC), fez uma visita à sede do Partido Liberal do Quebeque em Montreal, com o objetivo de encontrar documentos secretos sobre o financiamento dos partidos políticos.
Partido Liberal na mira da UPAC.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2019