logo
rss  Vol. XVII - Nº 294         Montreal, QC, Canadá - quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Carta de valores

Muçulmana insultada em Québec

LusoPresse – Uma mulher de origem argelina e seu filho de 18 anos, foram invetivados no Centro Comercial Laurier na cidade de Québec.

Badia Senouci, que usa um lenço na cabeça segundo a tradição muçulmana, foi abordada por outra mulher que lhe disse que ela devia mudar de religião e devia andar de cabeça descoberta, como que a referir-se às disposições da proposta «carta de valores quebequenses» do governo do Partido Québécois.

O filho, que se interpôs em defesa da mãe, acabou por ser cuspido na cara pela mulher que os tinha insultado.

A vítima deste acontecimento vive há 14 anos na cidade de Québec e declarou aos jornalistas que nunca tinha sido insultada até começarem as discussões sobre a proposta carta que prevê a exclusão de símbolos religiosos, com exceção do crucifixo na Assembleia Nacional, em todos os organismos públicos e parapúblicos.

O marido da visada acusa a primeira-ministra Mme. Marois de ser a responsável pelo estado de tensão que se está a verificar na província e declarou ainda que, face a esta situação, está a encarar seriamente sair do Quebeque, visto que a comunidade muçulmana está cada vez mais sujeita a ataques deste tipo.

A polícia de Québec está a investigar o caso.

Política Quebequense
LusoPresse – Uma mulher de origem argelina e seu filho de 18 anos, foram invetivados no Centro Comercial Laurier na cidade de Québec.
Carta de valores.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2019