logo
rss  Vol. XVII - Nº 294         Montreal, QC, Canadá - quarta-feira, 13 de Novembro de 2019
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

A Arte de Ensinar o Talento:

Luiz Saraiva, um artista pioneiro

Raquel Cunha

Entrevista de Raquel Cunha

Luiz Saraiva é já um conhecido da nossa comunidade. Pioneiro, chegou à Montreal há 46 anos, juntamente com a primeira vaga de emigração. Vinha à procura de liberdade artística, e a caminho dos Estados Unidos, mas a vida quis que por aqui ficasse, artista de alma e coração, por aqui vingou e comemora este ano 65 anos de carreira.

Luíz Saraiva gosta de contar histórias, preza a língua portuguesa e as suas raízes e vive de memórias que gosta de partilhar. Fez o Conservatório em Lisboa, trabalhou em televisão e teve mesmo o seu próprio grupo de teatro lisboeta: o Teatro de Bolso do Barreiro. Interessado pela arte da representação nunca desistiu de inovar e acabou sendo o primeiro mímico profissional em Portugal.

luis Saraiva 19 setembro.JPG
Théâtre de Laval.
Foto  - LusoPresse

Deixou o país que tanto ama por causa da censura e da falta de liberdade criativa. Emigrou para França, Paris, onde viveu seis anos e teve a sua própria companhia de teatro, Le Petit Théâtre d’Art Populaire, que chegou a contar com cerca de 30 atores residentes. Contudo, por detestar fronteiras, renunciou à sua atividade em França e veio rumo ao Quebeque.

Pretendia ir para os Estados Unidos, mas as coisas foram acontecendo e por isso foi ficando. Cria o Departamento de Teatro da Universidade de Moncton na Nova Brunswick, onde trabalha por quatro anos, mas os seus ideais mais uma vez se impõem, vê como uma enorme incoerência o obrigar um artista a ter estudos académicos e diplomas universitários.

Decide, pois, de criar a sua própria companhia de teatro, Théâtre de Polichinelle, à qual se seguem, o Théâtre d’Art du Québec e a École de Théâtre de Laval.

Faz 42 anos que dedica a sua vida ao teatro na vertente da educação, sendo pioneiro na integração do teatro no ensino, fazendo digressões anuais de teatro multidisciplinar nas escolas primárias e secundárias do Quebeque, Ontário e Nova Brunswick.

Descobriu por si próprio a importância do teatro no desenvolvimento psicossocial da criança e adolescente e, por isso, essa sua dedicação ao tema. Oferece cursos integrados, onde integra as técnicas de representação do ator no programa curricular de aprendizagem escolar e ainda seminários diversos. Acredita que ao trabalhar com as crianças, fará delas melhores adultos.

Foi já há 27 anos que fundou a Escola de Teatro de Laval, por onde passam entre 30 a 50 alunos todos os anos, na maioria crianças e adolescentes, por três principais razões: ou porque têm jeito e são extrovertidos, ou porque são tímidos e o teatro poderá ajudar a combater a timidez, ou porque pedem aos pais. Luiz Saraiva conta-se orgulhoso do trabalho aqui desenvolvido, que ultrapassa a escola e atinge todas as esferas da vida do aluno. As técnicas de teatro ensinam a expressar, escutar, concentrar, analisar, autoconhecimento, relações sociais e, portanto, desenvolvimento pessoal. Conta para isso o exemplo recente de uma aluna do 5º ano da primária que tinha uma média escolar de 62% e que com a ajuda do teatro, terminou o ano letivo com uma média de 95%.

Está feliz por comemorar 65 anos de carreira e nunca ter vivido de subsídios, acredita que tal como um mecânico, ou um pintor, também nas artes, quem é bom consegue ganhar a vida no que faz e além disso, precisa de liberdade total de criação e de movimento, como quem precisa de ar para respirar.

Durante toda a sua carreira em Montreal, pouco trabalhou dentro da Comunidade, e ainda hoje os seus clientes são sobretudo francófonos. Contudo, deixa clara a sua vontade de voltar a integrar-se no meio dos seus, e de, sobretudo, honrar a língua portuguesa. Confessa-se entristecido com o desinteresse por parte das Associações Comunitárias pela língua portuguesa, língua no seu sentido mais lato, de literatura, cultura e arte. Percebe a importância dada ao folclore, à culinária, à filarmónica, e mesmo à religião mas, e onde está a língua? Questiona.

Gostava para isso de trabalhar com a Comunidade, de fazer conhecer as lendas, tradições, obras e clássicos da nossa cultura, e para isso já tem algumas ideias e feito alguns contactos. No entanto, é agora tempo de preparar os dois espetáculos de Natal, «O Presépio Vivo» e o «Quebra-Nozes», ambos em digressão por Montreal, Quebeque, Ontário e Nova Brunswick, em datas ainda a agendar.

Oferece ainda vários outros espetáculos, desde recital de poesia, marionetes, mímica, e trovador – em homenagem à sua paixão pela Idade Média.

Para saber mais deste nosso talentoso artista consulte a sua página na internet: luizsaraiva.com

Entrevista
Luiz Saraiva é já um conhecido da nossa comunidade. Pioneiro, chegou à Montreal há 46 anos, juntamente com a primeira vaga de emigração. Vinha à procura de liberdade artística, e a caminho dos Estados Unidos, mas a vida quis que por aqui ficasse, artista de alma e coração, por aqui vingou e comemora este ano 65 anos de carreira.
A Arte de Ensinar o Talento.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2019