logo
rss  Vol. XVII - Nº 285         Montreal, QC, Canadá - sexta-feira, 23 de Outubro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Campeonato da Major League Soccer

Primeira derrota do Impacto

Norberto Aguiar

Por Norberto Aguiar

Um dia tinha de ser.

Depois de quatro vitórias seguidas, duas em casa e duas no exterior, o Impacto acabou por, ao quinto jogo, averbar a primeira derrota da época no Campeonato da MLS, que integra, não esqueçamos, pelo segundo ano consecutivo. E essa derrota acabou por ser às mãos, diríamos melhor, aos pés do Sporting Kansas City, campeão em 2012 da Zona Este da prova, a mesma da qual faz parte o Impacto de Montreal.

A derrota de sábado passado, em Kansas City, não surpreende, visto o Sporting ter sido melhor equipa no terreno de jogo, com um caudal atacante de 25 remates enquanto o Impacto se ficou por menos do que uma mão cheia de oportunidades. E quando assim é, difícil se torna à equipa dominada vencer o desafio, a menos que seja num dia de muita sorte e, já agora, de muita displicência do adversário... Mas que tem acontecido casos assim, lá isso tem.

Compeonato MLS Justin Mapp em acao.jpg

O Sporting Kansas City, que até não começou o campeonato muito bem, no desafio de sábado já deu um lamiré do que poderá ser a sua postura em 2013. Para muitos é mesmo uma das equipas a considerar como favoritas não só ao título da Zona Este, que ganhou em 2012, mas também ao título geral da Major League Soccer, pertença do La Galaxy de Los Angeles. É igualmente favorita para repetir a conquista da Taça dos Estados Unidos, conquistada em 2012 em despique com o Sounders de Seattle.

Dominado a todos os níveis, o Impacto não teve outra escolha que ceder os primeiros três pontos na importante e difícil competição. De resto, nos quatro jogos em que venceu os seus antagonistas, o Impacto nunca foi a equipa que mandou no jogo. Pelo contrário, foram os seus adversários a ditar o andamento, só que sem o domínio agora exercido pelo Sporting Kansas City. E isso valeu à formação canadiana de esperar pela hora certa para desferir o golpe fatal ao antagonista da ocasião. Isso mesmo aconteceu em Seattle, em Portland e até contra o Toronto FC, em jogo no Estádio Olímpico, sua casa nos dois primeiros jogos do campeonato – o outro foi contra o Red Bulls Nova Iorque.

Sem Nesta ???? no onze, jogou outra vez o jovem quebequense Karl Ouimette, mas já com Mapp como titular e a jogar os 90 minutos, não se pode dizer que foi por aí que o Impacto perdeu o jogo. A derrota teve muito mais a ver com o fraco rendimento de jogadores como Di Vaio, com muitos hiatos na sua atuação, de Patrice Bernier, uma surpresa, já para não falar de Filipe, o brasileiro que em 2012 deu «cartas» entre os seus pares e que neste início de época não tem estado à altura daquilo que se espera dele. Estará Filipe a estranhar a nova posição que o treinador Marco Schallibaum lhe passou a conferir na equipa? Talvez seja isso. Filipe, este ano, tem menos liberdade de ação em relação ao que acontecia às ordens de Jesse Marsh na época passada... Não se esqueça porém que todo esse fraco rendimento dos jogadores montrealenses e da própria equipa tiveram muito mais a ver com a categoria do adversário do que com as suas próprias fraquezas...

Como conclusão diremos que o 2-0 a favor do Sporting foi mais do que justo.

Impacto – Red Bulls, 1-0

Dos cinco jogos que vimos, três via TV e dois presencialmente, diremos que foi este contra o Red Bulls que o Impacto mais mereceu a vitória. É verdade que os nova-iorquinos não contaram com as suas duas maiores vedetas, Thierry Henry, lesionado, e Cahill, em representação da sua seleção, na Austrália. Mas contou, por outro lado, com a presença de Peguy Luyindula, um atacante francês de grande classe e que quando melhor integrado vai certamente dar muitas alegrias aos seus adeptos.

Com muitas oportunidades, o jogo teve sempre um ritmo muito vivo, com a formação de Montreal a dominar na maior parte do jogo, criando boas oportunidades para que o marcador, no final, apresentasse outros números. Neste aspeto, Di Vaio, que foi quem marcou o golo da vitória, aliás, um golo de excelente recorte técnico, dele e de Bernier que foi quem fez o passe a rasgar toda a defesa contrária e sem que Luís Robles – excelente keeper, que deixou o campeonato alemão, em 2012, para regressar ao seu país e defender as balizas do time de Nova Iorque – pudesse fazer o que quer que fosse para evitar que o esférico entrasse na sua baliza, mas dizíamos que Di Vaio falhou muitas oportunidades, algumas de baliza aberta, o que poderia ter custado pontos à sua equipa...

Num jogo que foi quase sempre de parada e resposta, o marcador de 1-0 não reflete o que realmente se passou em campo. Um 3-2 ou mesmo um 4-3 espelharia melhor o que se passou no decorrer dos 90 minutos do jogo disputado no Estádio Olímpico no sábado, dia 23 de março e perante cerca de 30 mil espetadores.

Próximo jogo

O Impacto, que viu o seu jogo desta semana diante do La Galaxy de Los Angeles adiado para outubro devido ao facto da equipa americana estar envolvida nas duas próximas semanas na Taça dos Campeões da CONCACAF, onde medirá forças com os mexicanos do Monterrey em jogos das meias-finais da competição, jogará somente a 13 de abril, contra o Columbus Crew, mas agora na estreia do Estádio Saputo.

Desporto
Depois de quatro vitórias seguidas, duas em casa e duas no exterior, o Impacto acabou por, ao quinto jogo, averbar a primeira derrota da época no Campeonato da MLS, que integra, não esqueçamos, pelo segundo ano consecutivo. .
Campeonato da Major League Soccer.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020