logo
rss  Vol. XVII - Nº 282         Montreal, QC, Canadá - sexta-feira, 23 de Outubro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Azulejos. Uma utopia cerâmica

Um filme escrito, produzido e realizado por Luís de Moura Sobral

2013, 52 m

Apresentado no Festival International du Film sur l´Art (FIFA), Montreal, 14 – 24 de março 2013

O azulejo é uma forma de revestimento mural de cerâmica que conhece em Portugal desde há cinco séculos um sucesso extraordinário, sem paralelo no Ocidente. Azulejos. Une utopie céramique é um road-movie rodado em 2011 em Montreal, Portugal e no Brasil, que procura compreender como esta técnica, artesanal na origem, se tornou uma forma importante de decoração monumental.

O inquérito é conduzido pelo historiador de arte Luís de Moura Sobral, professor na Universidade de Montreal. Em sentido contrário da cronologia, ele faz-nos visitar alguns monumentos entre os mais representativos desta modalidade artística, partindo do Metro de Lisboa para acabar nos conjuntos da época barroca, realizados pelos Oliveira Bernardes, pai e filho (primeira metade do século XVIII).

Durante o périplo, o realizador encontra historiadores, conservadores de museu, responsáveis do património, artistas e restauradores. O pensamento que lhe serve de fio condutor é o de um ideal estético ou duma utopia nunca realmente teorizados, mas que se revelam ou se concretizam em particular numa série de obras sumptuosas do início do século XVIII.

Em filigrana, os responsáveis da fotografia e do som, dois jovens cineastas montrealenses de ascendência portuguesa, Andrew Lima e Roberto Reis, reagem à descoberta desta parcela do património cultural dos seus antepassados.

Informações:

514-343-6026

514-738-5716

luis.de.moura.sobral@umontreal.ca

Cinema
Um filme escrito, produzido e realizado por Luís de Moura Sobral
Azulejos. Uma utopia.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020