logo
rss  Vol. XVII - Nº 282         Montreal, QC, Canadá - sábado, 24 de Outubro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Café Bistrô d’A Bola...

O Café Desportivo com nova cara e novos sabores

Raquel Cunha

Por Raquel Cunha

Faz já 11 anos que Paulo Teixeira e Francisco Pereira abriram o restaurante «O Cantinho», e 9 que o Café Bistrô «D’A Bola» está de portas abertas. Na passada primavera, foi tempo de redecorar este «Café desportivo» com um visual mais moderno. E agora, quase um ano mais tarde, apresenta mais uma novidade: a inserção de pratos do dia, de comida portuguesa a preços acessíveis. O LusoPresse quis saber o que se passa, e por isso passou por lá, para uma simpática conversa com o proprietário Paulo Teixeira. Veja a entrevista.

A ideia surgiu «há pouco tempo», confessa Paulo Teixeira, fruto de «tantos pratos que se podem fazer» e de modo a «atrair uma nova clientela e satisfazer toda a gente». Para isso contratou uma «cozinheira portuguesa que todos os dias prepara 2 pratos tradicionais, para a hora do almoço. São dois pratos disponíveis, frescos e feitos todos os dias, um de carne e outro de peixe, pelo qual o cliente pode optar», explica.

Cantinho varios 055.JPG
O bar “D’A Bola» é sempre muito frequentado.
Fotógrafo Raquel Cunha - LusoPresse

Com os «dois sítios» a oferecerem almoço, Paulo Teixeira não se preocupa que um tire a clientela do outro. «São clientelas diferentes» e «há clientes suficientes para os dois», são alguns dos argumentos utilizados. E faz todo o sentido: «É que o Cantinho é mais restaurante» enquanto o «Bistrô D’A Bola» é mais café, tem um ambiente mais jovem com pratos mais ligeiros e é também mais barato». «Queríamos lançar a cozinha portuguesa, de qualidade, mas a preços mais baratinhos», sorri.

Numa visita ao café apercebemo-nos de como o Café Bistrô «D’A Bola» se tornou na menina dos olhos do empresário. Para isso, esmerou-se na sua redecoração, adotando uma nova abordagem do estilo desportivo tradicional, aliando o desporto rei de Portugal, com o desporto norte-americano, numa fusão inter-regional e sobretudo intercultural.

Assim, o café tem alma quase de museu e pelas suas paredes desfila todo o tipo de relíquias desportivas, desde Camisolas da Seleção autografadas – Figo, Pauleta, Eusébio e Cristiano Ronaldo –, bola assinada por Mourinho, emblemas de todos os clubes de futebol portugueses, entre tantas outras. Tudo isso, lado a lado com relíquias de Patrick Roy e George St-Pierre, capacetes autografados de futebol americano, e outros tantos marcos do mundo desportivo da América do Norte.

Cantinho parede.jpg

Há ainda, claro, televisões com acesso aos diversos canais desportivos, onde pode assistir aos campeonatos portugueses e europeus, matraquilhos e ainda uma moto pendurada na parede. Para quem ainda tivesse dúvidas se este seria ou não um cantinho de encontro, dedicado ao desporto.

Quando abriu o Cantinho, recorda-se Paulo Teixeira, «funcionava como um ponto de encontro, como um café, sobretudo português, onde a malta se reunia e via os jogos de futebol». Contudo, o mesmo restaurante também albergava outro género de clientela «as famílias, não só portuguesas, como quebequenses e italianas, que vinham cá jantar». Ora bem, não é preciso muito para perceber que «essas duas clientelas não combinavam e por isso abriram o café, de modo a que toda a gente ficasse mais à vontade, confortáveis, cada um no seu ambiente sem querer ofender, nem deixar ninguém de lado».

Com a remodelação do Café Bistrô, os proprietários aproveitaram para lá montarem «toda uma cozinha», o que permitiu a oferta que agora se faz. «Queríamos melhorar o serviço». E confessa que «há ainda uma clientela ao meio-dia que se pode ir buscar!»

Já tem acontecido «mandar clientes para o Café, quando o Cantinho está cheio, mas apenas à hora do almoço, uma vez que à noite os ambientes são muito diferentes».

Quanto aos clientes regulares do Café Bistrô, estão contentes com a nova decoração e serviços, mas são «gente de poucas palavras», diz a sorrir Paulo Teixeira.

Até agora o prato que tem tido mais saída é «o cozido à portuguesa, aos sábados». Às segundas há também o Bitoque da Casa.

Há ainda a intenção de fazer mais e melhor, e entre os planos futuros, está previsto muitas surpresas, entre elas a criação de um hamburger português, a servir à noite.

Resta ainda dizer que os preços dos especiais variam entre os 8 e os 12 dólares, e que os pratos são «bem servidos», como não podia deixar de ser, bem «à portuguesa».

O «Café Bistrô D’A Bola» está aberto de segunda a sábado das 6 às 2 da manhã, e aos domingos das 8 às 24h.

Vale pois a pena passar por lá.

Reportagem
Faz já 11 anos que Paulo Teixeira e Francisco Pereira abriram o restaurante «O Cantinho», e 9 que o Café Bistrô «D’A Bola» está de portas abertas. Na passada primavera, foi tempo de redecorar este «Café desportivo» com um visual mais moderno.
A BOLA.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020