logo
rss  Vol. XVI - Nº 272         Montreal, QC, Canadá - sábado, 24 de Outubro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Réjean Meloche...

Fotografou Montreal e os Portugueses

Jules Nadeau

Texto de Jules Nadeau e foto de Réjean Meloche

Rua Duluth, em 1976, o fotógrafo Réjean Meloche reuniu estes seis voluntários debaixo do cartaz de Miúdo & Linhares. «Foi a 7 de outubro de 1976... nessa época podia-se entrar num comércio com uma máquina fotográfico sem criar desconfianças. Via-se o lado comercial de pessoas a trabalhar e o familiar com as crianças a brincarem. Podia-se facilmente fazê-los sair até ao passeio», explica o fotógrafo que fez a cobertura da metrópole durante oito anos para o Montréal-Matin e uma dezena de anos para o Devoir.

Rejean Meloche Miudo & Linhares.jpg
Faltam-nos nomes nesta foto. Se os nossos leitores quiserem fazer um exercício de memória, estamos abertos. Naquela altura era o «Miúdos & Linhares»; agora trata-se da próspera Chouriçor.

«Tenho um portefólio com cerca de 100 000 imagens» acrescenta este amigo de longa data (sempre sorridente e paciente) com quem realizei algumas reportagens. Na inauguração da sua exposição de 52 fotografias na Lozeau, do 6229 da rua Saint-Hubert, foi um prazer encontrar antigos colegas de trabalho da sala de imprensa do Montréal-Matin e um outro de Forum (Universidade de Montreal). Um pequeno congresso.

Para Réjean Meloche, era o lançamento do seu livro «Montréal, l'agitation tranquille» composto de quase uma centena de fotografias. Graças à jornalista Guylaine Boucher e à artista gráfica Valérie Paquette, o documento a preto e branco mostra a vida quotidiana e efervescente dos anos 70 em Montreal, a seguir à Révolution tranquille. Sem esquecer René Lévesque, Michel Chartrand e Jean Chrétien.

Fotógrafo de choque, fazendo a cobertura das pessoas comuns em acidentes, as intervenções policiais e factos diversos que fizeram a primeira página dos jornais, o sexagenário que vive em Lasalle viu de tudo, interessando-se igualmente pelas comunidades étnicas e pelo setor comercial assim como o dos seguros. Começou no preto e branco aos 17 anos de idade.

A exposição na loja Lozeau (2º andar) está aberta ao público até ao dia 11 de setembro. O livro de placas históricas está à venda pela módica soma de 20 dólares. Para mais informações sobre este minucioso caçador de imagens de 40 anos de experiência, visitar a sua página web: www.rejeanmeloche.com

Montreal
Rua Duluth, em 1976, o fotógrafo Réjean Meloche reuniu estes seis voluntários debaixo do cartaz de Miúdo & Linhares. «Foi a 7 de outubro de 1976... nessa época podia-se entrar num comércio com uma máquina fotográfico sem criar desconfianças.
Rejean Meloche fotografou.doc
yes
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020