logo
rss  Vol. XVI - Nº 256         Montreal, QC, Canadá - quinta-feira, 25 de Fevereiro de 2021
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Simpósio Internacional sobre Direitos Humanos e Qualidade de Vida...

Espaço de reflexão e partilha de experiências

Inês Faro

Por Inês Faro

A deportação, saúde, educação, apoio comunitário e liderança, foram os temas em discussão no Simpósio Internacional sobre Direitos Humanos e Qualidade de Vida nas Comunidades Falantes do Português nos EUA e Canadá, uma iniciativa do Governo dos Açores através da Direção Regional das Comunidades. Nos dias 9 e 10 de novembro, reuniram-se em Cambridge, Massachusetts, EUA, académicos, investigadores e representantes de várias associações comunitárias de língua portuguesa nos EUA e Canadá, assim como representantes de outras comunidades lusófonas, nomeadamente de Cabo Verde e Brasil. O simpósio teve como convidado especial Craig Melo, americano de ascendência açoriana, vencedor do Prémio Nobel da Medicina em 2006.

Este encontro reuniu interlocutores das várias áreas em discussão e foi um espaço de reflexão e partilha de experiências. A apresentação de projetos, iniciativas e trabalhos de investigação ligados aos desafios que enfrentam hoje as comunidades de língua portuguesa nos EUA e Canadá, teve como objetivo a concertação de esforços e a criação de parcerias no sentido de definir estratégias concretas para a promoção e defesa dos direitos humanos e uma melhor integração dos membros destas comunidades.

A cerimónia de abertura foi presidida por André Bradford, Secretário Regional da Presidência, que salientou o problema do repatriamento de cidadãos emigrantes para Portugal, nomeadamente para os Açores, de onde são originários a grande maioria dos imigrantes nos EUA e no Canadá. As mudanças das leis que regulam as entradas e saídas nestes países, assim como as condições de permanência, provocaram nos últimos anos a saída forçada de centenas de emigrantes portugueses que não respeitavam os critérios de legalização e naturalização nos países de acolhimento. A deportação foi o tema mais discutido neste simpósio de onde resultou algumas medidas concretas. Além do programa de sensibilização e prevenção LEGAL (Legalization effort of the Government of the Azores and Logistics) já em vigor, a sensibilização para o tema da deportação será feita em breve diretamente junto dos órgãos de soberania de todos os países envolvidos através de uma petição online.

De Montreal

simposio joaquina
Joaquina Pires recebe diploma de participação
Foto: LusoPresse

Da nossa comunidade, estiveram presentes no simpósio Joaquina Pires, delegada da Missão de Santa Cruz e Nísia Remígio, investigadora e produtora multimédia. Joaquina Pires apresentou uma comunicação sobre a qualidade de vida das pessoas de idade da comunidade portuguesa e a falta de intervenção política nesse sentido. «A questão dos idosos será uma causa esquecida? Somos capazes de ser organizados para fundar organismos, mas temos dificuldade em nos unirmos de forma política e termos força cívica para fazer avançar as coisas», explicou Joaquina Pires a propósito da sua intervenção no Simpósio. Joaquina Pires fez um balanço positivo da sua participação. «Foi bom rever pessoas que trabalham nesta área e conhecer o que estão a fazer. Foi muito útil sobretudo para conhecer, estabelecer contactos e criar uma rede para iniciar projetos», conta Joaquina Pires E só lamenta que a discussão promovida nestes dois dias em Boston não possa chegar a mais pessoas. «Foi ótimo, muito interessante. Apesar do tema da deportação ainda não nos dizer muito, é importante que haja uma sensibilização mais alargada para este tema. Só é pena que mais gente não possa ter acesso ao que foi dito», disse. No entanto, acrescentou, ficou prevista a publicação de alguns dos artigos apresentados.

Já num formato multimédia, Nísia Remígio apresentou alguns resultados do trabalho de investigação sobre as condições de vida das primeiras emigrantes açorianas na primeira década de emigração, a que se dedica a tempo inteiro há nove anos. O balanço não poderia ter sido melhor. «Foi incrível! Adorei ter a oportunidade de apresentar o meu trabalhar. São poucas as vezes em que tenho oportunidade de apresentar o trabalhar, e a aceitação foi incrível, com as pessoas a fazerem perguntas e a quererem saber mais. Fiquei emocionada», conta Nísia Remígio.

 

simposio nisia remigio

Organizado pelo governo dos Açores, o Simpósio Internacional sobre Direitos Humanos e Qualidade de Vida nas Comunidades Falantes do Português nos EUA e Canadá contou também com a colaboração da Universidade de Lesley e da Massachusetts Alliance of Portuguese Speakers (MAPS), assim como da Universidade de Princeton e do Boston College e da Fundação Luso Americana para o Desenvolvimento (FLAD).

Saiba mais em:

sites.google.com/site/simposio2011por/home

O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2021