logo
rss  Vol. XV - Nº 253         Montreal, QC, Canadá - quarta-feira, 03 de Junho de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima
Partilhe com os seus amigos: Facebook

PIRI-PIRI...

O sucesso do frango à portuguesa e o futuro «Fado»

Raquel Cunha

Entrevista de Raquel Cunha

Aníbal Silva veio para o Canadá com a idade de 15 anos. Voltou mais tarde para Lisboa onde continuou a trabalhar no ramo da restauração, dono de vários restaurantes de luxo. Há cinco anos regressou definitivamente a Montreal, por razões familiares e porque previa a crise económica em que Portugal entraria. Não está arrependido da sua escolha. Abraçou, com o seu irmão, o projeto da restauração, possui 4 restaurantes no Velho Montreal e ainda 3 restaurantes de «fast-food» português, chamados Piri-Piri. Pretende abrir mais e iniciar um franchise da marca. Empreendedor abre já em novembro «O Fado», um restaurante no Centro da Cidade, no Hotel Europa Best Western, de comida portuguesa e mediterrânea com apontamentos de Fado. Será o maior restaurante da América do Norte.

Falámos com ele para perceber quais os seus projetos, ambições e motivações.

 

piri piri anibal silva 2
Aníbal Silva
Foto: Raquel Cunha, LusoPresse

«Filho de peixe sabe nadar». Sorri. «O meu pai abriu o primeiro restaurante português de Montreal, nos anos 70. Chamava-se «Lisboa Antiga». As pessoas mais velhas da comunidade devem-se lembrar, já os mais novos, não creio que façam ideia». Foi aí que tudo começou para Aníbal, a restauração fez sempre parte da sua vida. «Tanto cá como lá», é algo que vem de dentro, das suas origens. Passou vinte anos em Lisboa «com vários restaurantes de luxo, tanto em Lisboa como no Algarve». Mas a vida dá muitas voltas e por razões familiares e económicas» a minha família estava cá e comecei a perceber que Portugal não estava a ir pelo bom caminho», aceitou o desafio do seu irmão na abertura de 3 restaurantes no Velho Montreal; «Os restaurantes correm bem, têm sucesso, mas não têm nada de português». Foi a «dívida com a comunidade» que o fez pensar em abrir o seu primeiro restaurante de «fast-food» português: Piri-Piri. «Quis retribuir a comunidade e também por influência do meu pai». Não podia pois estar no ramo da restauração, sem estar ligado às raízes, à comida portuguesa.

O primeiro restaurante abriu há cerca de um ano, na avenida Mont Royal e superou todas as expectativas. «Tem sido um sucesso, está sempre cheio. O nosso segredo é o frango à portuguesa, com as nossas especiarias e o carvão. É também claro o segredo da receita, o frango marinado por 24 horas antes de ser cozinhado, digamos». Daí a escolha do nome. «É impossível desassociar o frango do nosso molho de piri-piri. Faz parte das nossas especiarias e os canadianos acham imensa graça ao nome, é fácil e fica na memória».

A seguir foi a vez de testar o mercado com uma pequena filial em formato «take-away» em Laval «que corre extremamente bem».

 

piri piri maria de jesus
Maria de Jesus
Foto: Raquel Cunha, LusoPresse

O sucesso foi tanto que esta semana abriu mais um Piri-Piri no Village Gay. «Tem sido um sucesso enorme, mais uma vez superando as expectativas». Por isso pensa ainda em abrir mais um na Côte-de-Neiges em dezembro e outro ainda em Rosemont, previsto para o princípio do próximo ano.

A ideia é franchisar o negócio. «Primeiro pomos tudo a andar, tornamos a marca conhecida e arrancamos com os restaurantes, tornamos tudo operacional». Uma vez que o trabalho esteja feito, será altura de começar o processo de franchisação, no princípio do próximo ano. O Senhor Aníbal Silva ficará como master franchise a controlará toda a operação e desenvolvimento da marca.

Mas o menino dos olhos do Chefe Aníbal, batizado agora como Sr. Piri-piri é o seu novo restaurante com abertura marcada para novembro. Chama-se «O Fado» e será dedicado à comida portuguesa e mediterrânea de luxo, com apontamentos de Fado, música ao vivo, de artistas locais e portugueses. «Vai ser o maior restaurante da América do Norte, com uma capacidade para 250 pessoas, mais as salas de reuniões e banquetes», afirma com entusiasmo. «Será mais elitista, de comida de alto nível e faremos o maior fim de ano da comunidade!» Fica a promessa.

Deixa ainda uma mensagem aos leitores portugueses, a de que o venham visitar «amigos, clientes e futuros clientes, venham visitar «O Fado», para que esta aventura não seja só minha mas de todos nós. É a nossa terra que estamos a representar». Sorri assim, de garfo na mão. É sempre importante mostrar que a comunidade se mantém viva e que a comida faz parte de nós.

O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

Apesar das resistências encontradas na imprensa portuguesa em geral, o LusoPresse decidiu adoptar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa pelas razões que já tivemos a oportunidade  de referir noutro local.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.
 
Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020