logo
rss  Vol. XV - Nº 253         Montreal, QC, Canadá - quarta-feira, 03 de Junho de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima
Partilhe com os seus amigos: Facebook

 

Conselho de Regulamentação dos Consultores de Imigração do Canadá

Nos últimos meses, várias pessoas foram acusadas e denunciadas por serem falsos consultores de imigração. Esta prática é condenável e tem de cessar.

Em todo o país, os consultores de imigração, com o apoio do governo canadiano (através do Ministro da Cidadania e Imigração do Canadá Jason Kenney), têm tomado uma posição clara. Eles desenvolveram fortes padrões profissionais e criaram uma organização para regulamentar a profissão de forma eficaz e proteger os consumidores: o Conselho de Regulamentação dos Consultores de Imigração do Canadá (ICCRC).

Há uma forma simples de proteger a si e sua família ao considerar diversos prestadores de serviços na profissão de imigração: contrate um Consultor de Imigração Regulamentado Canadiano (RCIC). 

A partir de 28 de outubro de 2011, qualquer um prestando serviços de imigração por uma taxa (que não sejam membros de uma Associação Legal ou da Chambre des notaires du Québec) deve ser um membro em boa situação do Conselho de Regulamentação dos Consultores de Imigração do Canadá. Uma pessoa apresentando-se como um consultor de imigração, mas que não é registrada no Conselho está agindo ilegalmente.

Você pode ver a lista de RCICs visitando nosso website: www.iccrc-crcic.ca 

RCICs devem respeitar normas rigorosas, ser devidamente treinados e cumprir os requisitos anuais de desenvolvimento profissional. O ICCRC também desenvolveu um sistema eficaz de lidar com reclamações e disciplina.

O papel do ICCRC é proteger o público e melhor a profissão. Estamos aqui para você. Selecione um consultor de imigração qualificado. Visite o nosso site.

Phil Mooney, Presidente e CEO

O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

Apesar das resistências encontradas na imprensa portuguesa em geral, o LusoPresse decidiu adoptar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa pelas razões que já tivemos a oportunidade  de referir noutro local.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.
 
Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020