logo
rss  Vol. XIV - Nº 250         Montreal, QC, Canadá - quinta-feira, 23 de Janeiro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima
Partilhe com os seus amigos: Facebook

No circuito de Edmonton

Luso angolano faz boa figura

Por Hélder Jeremias

 

duarte ferreira edmonton

O piloto angolano de Fórmula Indy Light ao serviço da Bryan Herta, Duarte Ferreira, esteve em grande plano ao obter o oitavo e nono lugares da oitava jornada do campeonato norte-americano da categoria, disputada em julho passado no circuito de Edmonton, Canadá. Apesar do seu carro voltar a apresentar problemas mecânicos, o piloto da LS Sports foi bem referenciado por parte dos técnicos, pois soube manter a serenidade e defender-se dos fortes ataques a que esteve sujeito em circunstâncias adversas para qualquer piloto.

Duarte Ferreira entrou para a primeira prova da jornada convicto em estabelecer o seu melhor tempo, mas começou a notar a perda de potência do seu Indy ainda antes do meio da primeira corrida, porém, não virou a cara à luta, numa demonstração de que, como é de se esperar dos pilotos mais audazes, está pronto para os grandes desafios. O empresário Bryan Herta mostrou-se satisfeito pelo facto do corredor luso angolano ter ficado no top 10 das duas corridas, mas não deixou de fazer alguma abordagem ao engenheiro principal da equipa, pois o relatório da corrida mostra que Duarte Ferreira tinha possibilidades de voltar ao pódio, caso não tivesse as contrariedades descritas:

"O Duarte partiu da 12ª posição na grelha, tentou e ultrapassou várias vezes Daniel Herrington da equipa Sam Schidt Motorsport e quatro vezes ao Daniel Morad, ao serviço do Team Morad Racing, chegando-se mesmo à traseira do Ostella número 16, só que o carro não atingia a potência necessária, mas conseguiu gerir de forma prática e trazer o carro para as boxes no final da prova, inserido no top 10», lê-se no relatório.

O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

Apesar das resistências encontradas na imprensa portuguesa em geral, o LusoPresse decidiu adoptar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa pelas razões que já tivemos a oportunidade  de referir noutro local.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.
 
Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020