logo
rss  Vol. XV - Nº 245         Montreal, QC, Canadá - quinta-feira, 28 de Maio de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Bilhete de Lisboa

Cemitérios

Por Filipa Cardoso

 

cemiterios

Ao passar os olhos por um daqueles jornais que nos oferecem, pela manhã, quando estamos à espera que o sinal de trânsito fique verde, fiquei a pensar... «Porque não?...» A notícia era simples «Cemitérios atraem muitos turistas».

Quando há pouco tempo fui a Milão, uma das atrações turísticas é o Monumental Cemitério de Milão. Este cemitério é uma verdadeira galeria a céu aberto com fabulosas esculturas dos séculos XVIII e XIX.

Nessa época os principais cemitérios urbanos eram concebidos não só para os mortos mas sobretudo para os vivos. Estes lugares eram utilizados para passear e admirar as obras de arte representativas do que melhor se fazia. Contudo, com o declínio do Romantismo a vivência do cemitério urbano foi-se alterando devido, sobretudo, à redução do investimento artístico. Os cemitérios passaram a ser somente o lugar escolhido para o repouso eterno dos entes queridos.

Ultimamente, mais precisamente em 2001, foi criada a «Association of Significant Cemeteries in Europe» (http://www.significantcemeteries.org) e o aumento do turismo cemiterial tem sido grande.

Em Portugal existem alguns (poucos) cemitérios que estão ao nível dos de referência da Europa, mas parte deles têm sido degradados por intervenções desajustadas de renovação.

Este potencial turístico ainda está, por cá, quase todo por explorar. Os Cemitérios da Lapa, de Agramonte, e do Prado do Repouso no Porto e o dos Prazeres, em Lisboa, já foram objeto de ações claramente destinadas a uma valorização turística. Segundo Ana Paula Ribeiro, chefe da divisão de gestão cemiterial da CML, a autarquia de Lisboa já criou um núcleo museológico específico. No Porto a Câmara municipal promove «A Semana à Descoberta dos Cemitérios Europeus». Nesta cidade o túmulo mais visitado é o de Guilhermina Suggia, considerada uma das melhores violoncelistas do mundo.

O turismo cemiterial é especial pelo que não apela muito aos turistas mediterrânicos mas exerce um fascínio nos turistas do norte da Europa e nipónicos, devido à escala espetacular e exótica da sua arquitetura.

Os cemitérios são lugares fascinantes, cheios de curiosidades, símbolos e mistérios, que são fonte de inspiração para muitas obras literárias e espaços de contemplação e reflexão para cada um de nós.

O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

Apesar das resistências encontradas na imprensa portuguesa em geral, o LusoPresse decidiu adoptar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa pelas razões que já tivemos a oportunidade  de referir noutro local.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.
 
Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020