logo
rss  Vol. XV - Nº 241         Montreal, QC, Canadá - sábado, 08 de Agosto de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima

«Horizontes de Saudade»

Vamos Falar de Poesia

Adelaide Ramos Vilela apresenta no 3 de Abril de 2011, pelas 13h00, no Hotel Holiday Inn-Montreal-Midtown, no nº. 420, Sherbrooke O, Montreal, a sua mais recente obra poética, HORIZONTES DE SAUDADE.

adelaideramosvilela

Para que a poesia seja enaltecida e coroar de êxito, uma vez mais, a língua de Camões, farão parte da cerimónia ilustres convidados. Da mais bela cidade da Beira Baixa, a Covilhã, virá o Sr. Carlos Pinto, Presidente da Câmara Municipal da Covilhã. Das Caldas Rainha, Soledade e Rui Correia, advogados, mãe e filho esperam ansiosamente pelo dia do lançamento.

Convidamos igualmente a comunidade portuguesa de Montreal a juntar-se a este leque de gente boa para que juntos sejamos muitos a FALAR DE POESIA e de SAUDADE portuguesa.

Dirigimo-nos igualmente aos amigos dos países lusófonos, e pedimos-lhes para marcarem presença nesta ocasião. A língua portuguesa é bela, suave e rica, mais uma razão para falarmos bastante dela.

Tem toda a razão para dizer presente, ora veja:

Recebemos os nossos convidados e amigos numa das belas salas do Hotel Holiday Inn-Montreal-Midtown.

A Cristina Caridade, a animadora meiga, profissional de verdade, anima a tarde de festa e poesia. O Dr. Joaquim Eusébio, com o seu saber e dizer apresenta HORIZONTES DE SAUDADE.

Os nossos poetas cantarão e chorarão as palavras por Adelaide inventadas.

No campo musical, o Fado e a Poesia de mãos dadas. A surpresa chegará para depois do almoço.

Fiquem ainda a saber que vai atuar o nosso artista luso, Joe Puga, cujo talento e valor já todos reconhecem. Apresentará canções novas.

Pela primeira vez na vida da Adelaide, estará presente a poesia menina, com carita de rosa feita emblema, a Naylinha de 8 meses.

Reserve e informe-se aqui: (514) 353-2701 ou (514) 622-2702.

O tempo no resto do mundo

Acordo Ortográfico

Apesar das resistências encontradas na imprensa portuguesa em geral, o LusoPresse decidiu adoptar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa pelas razões que já tivemos a oportunidade  de referir noutro local.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.
 
Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020