logo
rss  Vol. XV - Nº 241         Montreal, QC, Canadá - quinta-feira, 03 de Dezembro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima

Helena Loureiro

Fiel à «autenticidade dos sabores portugueses»

Por Elisa Fonseca, da Agência Lusa

helena portuscalle2

Montreal - A 'chef' portuguesa Helena Loureiro, fiel "à autenticidade dos sabores lusos", está a ganhar popularidade na cidade de Montreal, tendo a imprensa local colocado o seu restaurante "Portus Calle" no topo dos "melhores da restauração portuguesa".

Em oito anos, esta 'chef' fez vingar o seu restaurante na Alameda Saint-Laurent - no coração do bairro português em Montreal - junto de uma clientela maioritariamente não portuguesa, mas sim quebequense e canadiana, dos simples curiosos, aos conhecedores e amantes do bom garfo.

A reputação do restaurante e da própria 'chef' consolidam-se, sendo constantemente solicitada para programas de televisão ou para jornais e revistas a apresentar "receitas de gastronomia típica portuguesa".

Em entrevista à Agência Lusa, Helena Loureiro afirmou-se fiel à "autenticidade da gastronomia e dos sabores portugueses, mas inovando".

"O meu sucesso deve-se ao meu trabalho, à qualidade dos produtos que utilizo e à inspiração nos sabores da cozinha tradicional portuguesa. Tenho muito orgulho em ser portuguesa", assinalou.

Grande parte dos produtos a que recorre são genuinamente portugueses, desde o vinho, sal, água, azeite, peixe da Nazaré ou sardinhas de Peniche".

A garrafeira do restaurante é outra ampla mostra da produção nacional, contando 7.000 garrafas de todas as regiões, num total de 123 marcas.

Ela própria decidiu lançar o vinho "Portus Calle", um Reserva de 2008, produzido no Douro, numa experiência em parceria com o enólogo Paulo Coutinho.

O seu restaurante assenta no conceito próprio de "cozinha aberta", o que facilita a aproximação ao cliente, assim como na apresentação moderna dos pratos, que é mais apelativa, e na inovação, com casamento de ingredientes e sabores.

As críticas da imprensa têm sido repetidamente elogiosas. O jornal diário "Montreal Gazette", em setembro passado, não hesitou em integrar Helena Loureiro entre os quatro melhores 'chefs' do Quebeque e, mais recentemente, a revista mensal "L'Actualité" dedicou-lhe a coluna "Plaisirs Gourmands", titulando "Helena, o mar, Portugal".

A paixão de andar à "volta das panelas" ganhou-a ainda em menina num restaurante da família na Nazaré, o que a fez rumar a Lisboa aos 17 anos de idade para tirar o curso de cozinha na antiga Escola de Hotelaria e Turismo (EHTL) nas Olaias.

Após emigrar para Montreal em 1988, inscreveu-se no prestigiado Instituto de Hotelaria e Turismo do Quebeque, do qual saiu diplomada e trabalhou como 'chef' em alguns restaurantes portugueses, até que em 2003 avança com o seu projeto pessoal do "Portus Calle".

Perante o êxito obtido, Helena prepara-se para abrir, em junho próximo, o seu segundo restaurante, a ser batizado com seu nome, perto da zona central e histórica de Montreal.

"O "Helena" será mais um tipo de cervejeira portuguesa, onde se poderá comer muito peixe. Enquadra-se numa tendência de cozinha saudável que acredito irá ser a do futuro", disse.

Natural da Serra de Santo António, Alcanena, distrito de Santarém, esta 'chef' tem ajudado a promover a cozinha portuguesa e realizado eventos para a divulgação da imagem de Portugal.

Helena tem sido designadamente uma impulsionadora da presença de 'chefs' portugueses no Festival "Montreal en Lumière".

Em fevereiro deste ano, trouxe àquele certame a 'chef' Margarida Cabaço, do restaurante "São Rosas", em Estremoz.

O tempo no resto do mundo

Acordo Ortográfico

Apesar das resistências encontradas na imprensa portuguesa em geral, o LusoPresse decidiu adoptar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa pelas razões que já tivemos a oportunidade  de referir noutro local.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.
 
Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020