logo
rss  Vol. XV - Nº 241         Montreal, QC, Canadá - segunda-feira, 03 de Agosto de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima

Helena Costa, a nossa entrevistada...

Do famoso Portugália ao Cantinho

Norberto Aguiar

Por Norberto Aguiar

Começou como bistrô, com bar e sala pequena. Depois alargou-se e foi crescendo até ao que é hoje: um restaurante frequentado por muita gente, de várias origens, que fazem com que o Cantinho, muitas vezes, não tenha lugar para albergar mais gente. Então à hora do almoço, é um ver se te avias...

helena costa cantinho chefe
Helena Costa
Foto: LusoPresse

No início, o nosso enfoque foi centrado no serviço de entrega ao domicílio. Porque o espaço era pequeno e tínhamos clientes ao bar. Com o tempo e com o êxito dos negócios, alargamos as instalações e acabamos com o bar. Foi nessa altura que abrimos o Cantinho da Bola (8042, boulevard St-Michel) que fica aqui a dois passos, de maneira a satisfazer os muitos clientes que tínhamos no bar do Cantinho, começa por nos dizer Paulo Teixeira, um dos dois sócios (o outro é Francisco Pereira, de férias no momento da nossa visita).

Daí para cá, o Cantinho transformou-se num verdadeiro restaurante, frequentado por gente de todas as classes sociais da cidade e não só, com a sua cozinha a marcar pontos principalmente nos grelhados à moda portuguesa, que como se sabe está neste domínio a dar cartas no mercado.

Mas não satisfeito, o duo Paulo Teixeira/Fernando Pereira, dois amigos de origem minhota que se conheceram nas salas do antigo restaurante/bar Crocodilo em 1989 e que em tempos existiu no boulevard St-Laurent (mesmo ao lado, a sul, da Caixa de Economia), avançaram para uma cozinha mais abrangente, que começou com um prato do dia e hoje já vai em muitos pratos do dia, como nos disse a cozinheira Helena Costa.

Especializei-me em carne de porco à alentejana, ensopado de borrego, carne de vitela à bordalesa, rojões de porco à Beira Baixa; e não desdenho o bacalhau com natas, o cozido à portuguesa, o coelho à caçador, a feijoada à transmontana, tudo pratos bem portugueses, como eu sou, remataria. Foi com este enumerar de pratos típicos que Helena Costa, natural de Castelo Branco e neste ofício desde os 19 anos, quis demonstrar que no Cantinho não se serve só grelhados.

 

helena cantinho paulo teixeira

Para uma cozinheira, que é como ela quer ser tratada, que em Portugal oficiou na Portugália, na Brasileira do Chiado, no Bernard, aqui com a particularidade de ter sido parceira do grande Chefe Silva, sim, aquele mesmo que durante muito tempo aparecia nos ecrãs da televisão, a sua presença no Cantinho dá-lhe muito gozo, pela equipa que com ela trabalha e pelos patrões, de quem diz gostar muito. São dos melhores que tive até hoje, afirma convicta. E repare que já lá vão 33 anos!

Mas se Helena Costa passeou pelos grandes restaurantes de Lisboa, onde chegou a preparar repastos para Mário Soares e Cavaco Silva, por exemplo, também em Montreal ela já marcou presença em locais como o Tasca, o Estrela do Oceano; abriu o Canard, já extinto, e surpresa, esteve na abertura do Ferreira Café. Sim, fui colega do Marino Tavares na abertura do Ferreira Café. Foi uma bela experiência, diz, mesmo se recorda que já se passaram quase 16 anos.

Casada com o músico Luís Costa e mãe dum filho já homem, Helena Costa afirma-se muito contente com a profissão que desempenha, aprendida por influência de uma colega mais velha, Alice Pimenta, proprietária do restaurante casa de fados, Casa Pimenta, na Quinta de Palmela, a sul do Tejo. Sim. Foi escolha por gosto. Adoro a minha profissão, para mais quando se tem bom ambiente. E no Cantinho esse ambiente existe e é saudável, responde-nos depois de mais uma pergunta nossa.

Já de pé, preparando-se para aceder ao pedido do filho que a espera, Helena Costa ainda teve tempo para nos dizer que hei de ser sempre cozinheira, que isso de chefe não me soa bem. E de 1ª. classe, obtida junto dos melhores especialistas de Lisboa.

O Restaurante Cantinho

Fundado a 25 de março de 2002 - faz anos dentro de dias! - e propriedade (o edifício também lhes pertence) de Paulo Teixeira e Fernando Pereira, dois jovens que tiveram a sua primeira experiência neste ramo com o antigo restaurante Alto Mar, na rua Masson, o Cantinho está situado no 3204 da rua Jarry e tem como telefone o número (514) 729-9494. O seu horário é das 11h30 às 22h00 de segunda a quinta-feira; sexta e sábado das 11h30 às 23h00; enquanto no domingo a abertura só acontece às 17h00, para o serviço noturno. Entretanto, no decorrer do dia, como nos adiantou o Paulo Teixeira, fica por conta de festas de grupo.

Como remate, acrescentaremos que o Cantinho tem mais quatro cozinheiros, a saber: José Silva, António Raposo, Manuel Gonçalves e Sriloganathan Subramaniam. Pedro Neves, por sua vez, age como chefe de sala.

O tempo no resto do mundo

Acordo Ortográfico

Apesar das resistências encontradas na imprensa portuguesa em geral, o LusoPresse decidiu adoptar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa pelas razões que já tivemos a oportunidade  de referir noutro local.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.
 
Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020