logo
rss  Vol. XV - Nº 239         Montreal, QC, Canadá - segunda-feira, 01 de Março de 2021
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowArquivos arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima

Realojamentos no concelho

Câmara Municipal encerra programa

Por Ana Paula Fonseca

realojamentos no concelho 2

Ribeira Grande - A Câmara Municipal da Ribeira Grande deu por encerrado o programa de realojamentos no concelho destinados às famílias mais carenciadas, com a entrega de 33 habitações sociais no Bairro de Santa Luzia, freguesia da Matriz.

A entrega de novas casas a 33 famílias na Rua Prior Manuel Medeiros Sousa, Rua e Travessa Nossa Senhora da Estrela, sendo doze T2 e vinte e uma T3, decorreu esta manhã, numa cerimónia que contou com a presença do chefe do executivo açoriano, Carlos César.

A autarquia nortenha é a única a nível Açores com o maior parque habitacional social, com cerca de 500 casas, sob a gestão da empresa municipal "Ribeira Grande Mais", construídas nos últimos anos, no âmbito do Programa de Financiamento para Acesso à Habitação (PROAHABITA), do IRHU.

A Câmara Municipal da Ribeira Grande foi também a primeira dos Açores, e a segunda do país, a celebrar Acordos de Colaboração, na modalidade de arrendamento social no domínio do programa habitacional PROHABITA. Este programa financiou a construção de 152 moradias, tendo sido 89 em Santana - Rabo de Peixe; 30 na Ribeirinha e 33 na Matriz, num investimento de 17 milhões de euros.

Para o presidente da autarquia, Ricardo Silva, a continuidade de idêntico programa de realojamento "é incomportável" para o município, já que o actual parque habitacional terá um "custo de financiamento anual e durante os próximos vinte anos de mais um milhão e 100 mil euros".

A partir de agora, afirmou Ricardo Silva, o realojamento deixou de fazer parte da "política municipal", centrando a sua atenção na reabilitação de habitação e que no concelho, atinge os 616 casos, de acordo com o Plano Municipal de Habitação. Este plano diagnostica e define as prioridades na resolução dos problemas habitacionais nas

O tempo no resto do mundo

Acordo Ortográfico

Apesar das resistências encontradas na imprensa portuguesa em geral, o LusoPresse decidiu adoptar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa pelas razões que já tivemos a oportunidade  de referir noutro local.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.
 
Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2021