logo
rss  Vol. XV - Nº 237         Montreal, QC, Canadá - segunda-feira, 01 de Março de 2021
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima

Família de Ben Ali...

Refugiar-se-á no Canadá?

 

ben ali
Zine El Abidine Ben Ali

Montreal - Montreal poderá ser o destino da família do presidente tunisino, Zine El Abidine Ben Ali, em fuga desde sexta-feira, após mandar durante 23 anos no país magrebino, avança a AFP.

A hipótese decorre de o seu genro e uma das suas filhas terem comprado uma mansão opulenta nesta metrópole em 2008.

Foi em Westmount, bairro onde vive a elite anglófona da cidade, que o genro, Sakher El Materi, um importante empresário, e Nesrine Ben Ali, a filha, adquiriram em 2008, por 2,55 milhões de dólares (1,9 milhões de euros), uma villa com piscina.

Quarta filha do presidente, Nesrine chegou a Montreal na noite de terça-feira, na companhia do marido, para dar à luz nas próximas semanas.

A segunda metrópole francófona do mundo acolhe uma importante comunidade magrebina.

Pelas estimativas da embaixada tunisina, o Canadá acolhe 17 mil tunisinos, dos quais 65 por cento vivem no Quebeque.

Situado nas proximidades da casa do primeiro-ministro do Quebeque, Jean Charest, o imóvel que o empresário, de 30 anos, possui com a mulher está em renovação, com os trabalhos, que começaram há três meses, avaliados em 80 mil dólares.

Fonte diplomática canadiana indicou que a filha do presidente tunisino possui um visto canadiano, para entradas e saídas múltiplas, o que lhe permite vir ao Canadá e sair do país à vontade.

Saído da burguesia tunisina e membro do comité central do partido no poder do presidente Ben Ali, Mohamed Fahd Sakher El Materi possui 70 por cento do capital de Dar Assabah, o principal grupo privado de imprensa escrita da Tunísia, através da sua holding Princesse El Materi.

O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

Apesar das resistências encontradas na imprensa portuguesa em geral, o LusoPresse decidiu adoptar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa pelas razões que já tivemos a oportunidade  de referir noutro local.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.
 
Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2021