logo
rss  Vol. XIII - Nº 234         Montreal, QC, Canadá - segunda-feira, 01 de Junho de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima
Partilhe com os seus amigos: Facebook

 

Notícias de Lagoa

 Cobrança de água porta a porta vai ser extinta

 

noticias de lagoa espacos ilha

A cobrança de água porta a porta será extinta a partir de janeiro de 2011, pretendendo-se promover o respetivo pagamento através de transferência bancária.

Para tal, a Câmara Municipal de Lagoa encontra-se a dinamizar uma campanha de adesão ao pagamento por transferência bancária, uma opção que não acarretará quaisquer custos e que permite aos munícipes deixarem de se preocupar com o pagamento da sua fatura dentro dos prazos limites.

Trata-se de uma medida que surge na sequência do esforço financeiro da autarquia na implementação de uma rede de postos de atendimento onde os munícipes possam aceder mais facilmente a serviços camarários como o pagamento do tarifário de água e de resíduos sólidos e que, em alguns casos, não tem registado a adesão pretendida, pelo que é intenção da autarquia promover outras formas de pagamento destas faturas, nomeadamente através do pagamento por multibanco, cujos dados constarão da respetiva fatura, ou por transferência bancária.

Após a extinção da cobrança de água porta a porta, os atuais leitores/cobradores da Câmara Municipal de Lagoa, que continuarão a efetuar a leitura e a distribuição das respetivas faturas/recibo, irão reforçar as ações de fiscalização aos contadores de água.

De realçar ainda que o Concelho de Lagoa tem ainda uma rede de Postos de Atendimento Camarários na Atalhada, Remédios e Santa Cruz, para além das Juntas de Freguesia de Água de Pau, Cabouco e Ribeira Chã, onde os munícipes poderão efetuar o pagamento da sua fatura de água e de resíduos sólidos com toda a comodidade.

Política Social da Câmara reflete-se na melhoria do ambiente familiar

noticias de lagoa ambiente familiar

O trabalho desenvolvido pela Câmara Municipal de Lagoa na área social tem tido reflexos ao nível da melhoria das condições de vida e do ambiente familiar das famílias lagoenses, nomeadamente ao nível dos mais jovens. A ideia foi defendida pela vereadora da Câmara Municipal de Lagoa, Graça Araújo, durante o 1.º Encontro da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens da Lagoa "A Criança e a Violência Doméstica" que decorreu no Cine Teatro Lagoense, Francisco D'Amaral Almeida, numa organização da CPCJ da Lagoa e que contou com o apoio da Câmara Municipal de Lagoa.

Segundo esta responsável, a aposta camarária na área social, conjuntamente com o investimento realizado em termos de educação, e a parceria com as instituições do concelho, têm permitido um efetivo trabalho em prol da população mais jovem do concelho.

Como referiu na ocasião, torna-se necessário que as famílias sejam parte integrante no desenvolvimento e crescimento saudável dos seus filhos, mas que face à realidade da violência doméstica que, infelizmente, ainda se assiste atualmente, torna-se necessário um trabalho contínuo e de muita dedicação por parte dos profissionais que compõem a CCPJ.

Graça Araújo, destacou o papel da Comissão de Proteção de Crianças e Jovens da Lagoa na defesa desta causa, nomeadamente através da articulação com várias entidades, permitindo uma atuação no terreno mais rápida e eficaz.

Contos tradicionais açorianos de Teófilo Braga lançados em livro

 

noticias de lagoa contos

Os Contos Tradicionais Açorianos de Teófilo Braga encontram-se já reunidos num único livro. Trata-se de uma compilação realizada por Anabela Mimoso, que foi apresentada e lançada no auditório da Escola Secundária de Lagoa.

Para Anabela Mimoso a intenção de juntar estes contos nesta obra teve como principal objetivo o de dar a conhecê-los ao continente português, bem como ao Brasil e a toda a lusofonia.

Num ano em que se comemora o primeiro centenário da Implantação da República Portuguesa faz todo o sentido revisitar a obra de Teófilo Braga, pela sua militância republicana, que seria sobretudo literária a partir do falhanço de 31 de Janeiro de 1891, mas também ao lugar cimeiro que ocupou, logo após o 5 de Outubro, na jovem República, embora não se tivesse envolvido diretamente nos preparativos revolucionários.

Na ocasião, Anabela Mimoso relatou um pouco da vida do primeiro Presidente da recém- implantada República Portuguesa, do seu trabalho em prol do país e pela sua preocupação pela causa pública.

E porque Teófilo Braga era açoriano, pretendeu-se dar a conhecer a obra em que reuniu o património cultural do arquipélago que o viu nascer, pois em relação aos contos tradicionais açorianos, estes nunca foram publicados como obra autónoma, mas a importância que os mesmos conferiram às tradições micaelenses encontram-se bem patentes nos artigos que este açoriano foi publicando em vários números da prestigiada Revista Lusitana. Segundo a organizadora desta compilação, este é o tempo oportuno para suprir uma lacuna e fazer-se uma condigna homenagem, dando-se a conhecer esses contos tradicionais açorianos que até agora circulavam como parte integrante dos Contos Tradicionais do Povo Português.

A ocasião ficou ainda marcada pela atuação musical da pianista Ana Paula Andrade, que interpretou alguns dos temas açorianos mais conhecidos, fechando de forma singular a cerimónia de lançamento deste livro.

Realce-se que o lançamento dos "Contos Tradicionais Açorianos de Teófilo Braga" inseriu-se no Programa Comemorativo do Centenário da República que a Câmara Municipal de Lagoa se encontra a realizar no Concelho.

Concelho de Lagoa sem iluminação de Natal

 

noticias de lagoa iluminacao natal

O Concelho de Lagoa não terá este ano a sua tradicional iluminação de Natal. Quando, em pleno período de crise, se pedem sacrifícios às famílias, a autarquia lagoense em unanimidade com as suas cinco juntas de freguesia decidiu que não seria moralmente ético despender verbas para a iluminação de Natal, e que ainda representam um investimento financeiro considerável, revertendo-as, assim, para outras áreas consideradas essenciais para o Concelho e para os lagoenses.

A decisão unânime de não se realizar este tipo de investimento na iluminação de Natal prende-se com a atual situação económica dos municípios e, muito particularmente, com a preocupação decorrente do corte de verbas que se tem verificado e que requerem uma gestão criteriosa com o objetivo de se promover uma efetiva contenção de despesas.

Para tal, a autarquia lagoense, em sintonia com as suas cinco juntas de freguesia, avaliou esta situação e o peso que a mesma detém no orçamento, tendo-se decidido a suspensão da iluminação de Natal para este ano. Contudo, tal situação não irá interferir com os programas e animação de Natal que se vem realizando no Concelho, nomeadamente a montagem de presépios junto às igrejas e outros locais públicos.

Esta é mais uma medida de contenção adotada pela autarquia lagoense que pretende dar um exemplo de poupança em despesas consideradas não essenciais.

Exposição '"Pedaços de Ilha" no CEFAL

 O Centro de Educação e Formação Ambiental de Lagoa (CEFAL), gerido pela EML, acolhe até ao próximo dia 30 de novembro a exposição "Pedaços de Ilha".

Trata-se de uma exposição da autoria de Sidónio Félix, composta por vinte registos fotográficos que capturam paisagens icónicas da ilha de São Miguel e que já percorreu algumas instituições micaelenses.

O CEFAL ao acolher esta exposição pretende, através da sua componente ambiental, dar a conhecer à população lagoense a riqueza, diversidade e beleza paisagística da ilha de São Miguel, sendo também objetivo do Centro de Educação e Formação Ambiental de Lagoa abordar a componente educativa da exposição junto dos mais jovens, nomeadamente a génese vulcânica das ilhas açorianas.

Açores
 Cobrança de água porta a porta vai ser extinta
Noticias de Lagoa.doc
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020