logo
rss  Vol. XIII - Nº 234         Montreal, QC, Canadá - segunda-feira, 01 de Junho de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Instituto Camões:

Consolidar e racionalizar rede de português no estrangeiro

 

instituto camoes

Lisboa - O vice-presidente do Instituto Camões (IC), Mário Filipe, garantiu que o objetivo do organismo é "consolidar e racionalizar" a rede do Ensino do Português no Estrangeiro (EPE) e não de a reduzir.

"Não há intenção de reduzir, há de consolidar e de racionalizar a rede", disse o responsável à Agência Lusa.

Mário Filipe falava à Lusa na sequência das declarações do secretário-geral da Federação Nacional de Educação (FNE), João Dias da Silva, na quarta-feira, de que "havia perspetivas de crescimento de oferta EPE para outros países e que não vai ter a expressão que o Instituto Camões contava realizar".

O sindicalista fez estas declarações após um encontro com o secretário de Estado das Comunidades, António Braga, e com a presidente do Instituto Camões, Ana Paula Laborinho.

Segundo o vice-presidente do IC, "é evidente que tendo em conta as restrições que todos conhecemos, a preocupação vai para a manutenção do que existe e para a reestruturação do que existe, tendo em conta que é necessário continuar a assegurar o funcionamento da rede".

"O que nos importa é consolidar", sublinhou o responsável, acrescentando que "não há nenhuma intenção de suspender seja o que for".

"Há uma manutenção da rede, não há alargamento da rede", explicou Mário Filipe.

O vice-presidente do IC especificou ainda que nos países onde o ensino é assegurado por associações de emigrantes, como os Estados Unidos, Canadá ou Venezuela, o IC trabalha neste momento para a qualificação dessa rede, a atualização e formação contínua dos professores e a certificação desse ensino.

"Estamos também a integrar tanto quanto possível nos currículos das escolas locais o ensino do português, que nos Estados Unidos começa a ser feito, e que não há nenhuma razão para que esse trabalho não continue", disse.

Quanto à denúncia de deputados do PSD de que há cerca de mil alunos sem aulas de português em França e outros tantos na Alemanha, Mário Filipe esclareceu que o IC está a aguardar autorização para iniciar a contratação local de professores.

"É uma preocupação nossa, mas há que ter em conta que há um novo quadro legal que gere e regula a contratação local. Temos de aguardar que haja autorização superior", afirmou.

Língua Portuguesa
O vice-presidente do Instituto Camões (IC), Mário Filipe, garantiu que o objetivo do organismo é "consolidar e racionalizar" a rede do Ensino do Português no Estrangeiro (EPE) e não de a reduzir.
Instituto Camoes.doc
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020