logo
rss  Vol. IX - Nº 129         Montreal, QC, Canadá - sexta-feira, 23 de Outubro de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContactos arrowÚltima hora arrowClima arrowEndereços úteis
Partilhe com os seus amigos: Facebook

Nos Açores

Ensino descentralizado

 

O director regional da Juventude, Emprego e Formação Profissional, Rui Bettencourt, realçou hoje, no concelho do Nordeste, na ilha de são Miguel, a importância do ensino profissional descentralizado como uma resposta adequada ao desenvolvimento local.

Para o director regional, que falava em representação do presidente do Governo, na cerimónia de entrega de diplomas a novos formandos da Escola Profissional do Nordeste que, agora, concluíram os seus cursos, as novas oportunidades decorrentes da qualificação que o ensino profissional tem vindo a promover, muito têm contribuído para o engrandecimento do tecido empresarial da Região.

Assim está, também, a acontecer no concelho do Nordeste, onde a Escola Profissional já formou mais de 300 jovens, desde 1998, em áreas que vão desde técnicos de electrónica a animadores sócio-culturais, assistentes de geriatria e técnicos de construção civil, até ao sector do turismo, com recepcionistas, técnicos de turismo, cozinheiros e empregados de andares, todos estes a exerceram a sua actividade profissional nas unidades hoteleiras do concelho.

Na referida cerimónia, Rui Bettencourt entregou os diplomas a 14 jovens que terminaram o seu curso de Topografia e Geometria, com duração de três anos e uma equivalência ao 12.º ano de escolaridade.

Açores
O director regional da Juventude, Emprego e Formação Profissional, Rui Bettencourt, realçou hoje, no concelho do Nordeste, na ilha de são Miguel, a importância do ensino profissional descentralizado como uma resposta adequada ao desenvolvimento local.
Nos Aores.doc
 
no
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020