www.lusopresse .com

  Este espaço está reservado para si !
514-272-0110

www.lusopresse.com - Editor: Norberto Aguiar - Director: Carlos de Jesus

Volume IX - Nº 120 - Montreal, 1 de Julho de 2005

 
   
     
Impacto de Montreal, 4 – Battery de Charleston, 2  
Melhor resultado que a exibição  
Por Manuel Marques  

Foi na quarta-feira, dia 22 de Junho, por sinal um dia cheio de sol, que o Impacto de Montreal defrontou a equipa americana do Battery de Charleston, em jogo do Campeonato da Primeira Divisão da United Soccer Leagues. Na ocasião, o Impacto venceu o desafio, por 4-2, perante mais uma assistência impressionante, avaliada em 11 823 espectadores.

Depois de dois jogos a zero, nos empates caseiros contra o Rochester e o Lynx (Toronto), o Impacto começou o jogo contra o Battery praticamente com os mesmos defeitos que tinha apresentado contra aqueles adversários: jogo muito afunilado, por falta de quem jogasse pelas alas, e defesas pouco propensos para descer ao meio-campo contrário, excepção aqui e ali, para Vincello. De resto, foi numa descida do defesa esquerdo montrealense que o Impacto chegou ao golo, estavam decorridos 25 minutos da partida. Numa jogada de envolvimento, o defesa argentino chutou de fora da área, tendo a bola batido num defesa contrário e traído o guardião «americano». Estava feito o mais difícil, pensámos.

Sem ter feito grande coisa até ali, isto é, até ao golo, o Impacto galvanizou-se por alguns momentos, o que lhe permitiu chegar ao segundo golo, aos 29 minutos, num belo trabalho de Ali Gerba. Os restantes minutos da primeira parte foram jogados com algum querer, mas nada de arregalar os olhos.

A segunda parte começou com os «americanos» a tentarem chegar-se à frente, pois o resultado era-lhes desfavorável. E, de repente, sem que o Impacto tenha dado por isso, o jogo estava empatado, a duas bolas. Foram momentos de descontrolo, da equipa e do banco dos suplentes, onde o treinador protestava e gesticulava por tudo e por nada contra a equipa de arbitragem, que se limitava a fazer o seu trabalho.

Então, numa decisão que nos pareceu do tudo ou nada, Nick de Santis decidiu-se pela entrada de Sandro Grande, um médio possante mas que vinha duma lesão, em vez de Mesut, pouco menos do que inofensivo, e não é que Sandro Grande, chamado a marcar um livre à entrada da área, faz um grande golo, levando a sua equipa a desfazer o empate! Sete minutos depois, aos 90, também por intermédio de outro substituto, Eduardo Sebrango, o Impacto sela o resultado final em 4-2, deveras desproporcional com aquilo que se passou no rectângulo de jogo.

Em resumo pode dizer-se que o Impacto obteve um belo resultado (4-2) diante duma equipa que lhe fez a vida negra durante muitos períodos do jogo. De certa maneira, somos mesmo obrigados a dizer que o resultado não reflecte o que se passou nas quatro linhas. Valeu a vitória do Impacto para agradar aos muitos adeptos que, nos três jogos disputados esta época em casa, têm comparecido em grande número, sempre a rondar os 12 mil.

Numa apreciação breve à equipa continuamos a dizer que há jogadores fora dos seus lugares – o caso de Zé Roberto é flagrante, ao jogar a médio extremo esquerdo... – levando-nos a pensar que a equipa não rende o que está ao seu alcance por isso mesmo.

A Figura: Gabriel Gervais.


 
 

Voltar ao topo da página
Página principal