logo
rss  Vol. VII - Nº 117         Montreal, QC, Canadá - segunda-feira, 03 de Agosto de 2020
arrowFicha Técnica arrowEstatutos arrowPesquisar arrowContacto arrowÚltima hora arrowClima
Partilhe com os seus amigos: Facebook

O Código Da Vinci

Uma polémica nasceu...

Elizabeth Ferreira

Por Elizabeth Ferreira

Acabei de ler a obra de Dan Brown intitulada O Código Da Vinci. Um thriller que captou milhões de leitores através do mundo com 7,35 milhões de exemplares em circulação até agora.

 

 

Decidi-me a ler esta obra depois de muitas recomendações de diversas pessoas e do debate que o livro tem gerado à volta da legitimidade da história do cristianismo.

O Código Da Vinci é em realidade um drama policial, impregnado de factos históricos que o autor descreve como segredos desmistificados sobre vários temas da história da Igreja.

Não vou divulgar todas as revelações que o autor semeou ao longo da obra, porque elas são muitas, mas o livro menciona, em resumo, que a Igreja Católica foi fundada sobre o segredo da existência de outros 80 evangelhos (chamados gnósticos ou apócrifos), onde estariam grandes revelações na «verdadeira versão» da história cristã.

Estes evangelhos foram escondidos no Século IV, quando o imperador Constantino, no Concílio de Niceia, em 325 d.C., decidiu que os únicos evangelhos que fariam parte da Bíblia moderna fossem os de Mateus, Marcos, Lucas e João. Todas as pessoas que fossem encontradas com qualquer outro evangelho seriam perseguidas e condenadas.

Os evangelhos apócrifos foram descobertos muitos anos depois, ou seja em 1945, quando um Egípcio encontrou numa jarra 13 livros envoltos de couro, datando dos anos 350. Alguns desses escritos eram:

O Evangelho de Maria Madalena, de Tomé, de Filipe

Os Actos de Pedro, de Pilatos

As Epístolas de Pilatos a Herodes, a terceira epístola aos Coríntios

O Apocalipse de Tiago

A Declaração de José de Arimateia

Estes escritos encontram-se na biblioteca de Nag Hammadi, no Egipto.

Enquanto a Igreja categoriza O Código Da Vinci como uma polémica obra de ficção, o autor garante que as teorias presentes na história têm valor. A interpretação das teorias fica à nossa discrição. Para quem não quiser ler o livro, pode esperar pela saída do filme O Código Da Vinci, com Tom Hanks e George Clooney, em 2006. Boa leitura!

Literatura
no
Acabei de ler a obra de Dan Brown intitulada O Código Da Vinci. Um thriller que captou milhões de leitores através do mundo com 7,35 milhões de exemplares em circulação até agora.
O Codigo Da Vinci.doc
O tempo no resto do mundo

Arquivos

Acordo Ortográfico

O que é o novo acordo?

O LusoPresse decidiu adotar o novo acordo ortográfico da língua portuguesa.

Todavia, estamos em fase de transição e durante algum tempo, utilizaremos as duas formas ortográficas, a antiga e a nova.   Contamos com a compreensão dos nossos leitores.

Carlos de Jesus
Diretor

 
LusoPresse - 2020